RedeGN - PROFESSOR RECLAMA DA COELBA E DO BANCO DO BRASIL

PROFESSOR RECLAMA DA COELBA E DO BANCO DO BRASIL

Estimado Geraldo José,

Estamos sobressaltados com a notícia de que "a Coelba pleiteou na agência nacional de energia elétrica (aneel) reajuste de 11,96% da tarifa de energia, a partir de 22 de abril" próximo.

Afinal, quem recebeu tal aumento, além dos deputados e senadores que deram a si mesmos 61,8% de aumento diante do nosso sepulcral silêncio e, ou, indiferença?

Nós servidores públicos da Bahia recebemos 5,91% de reajuste.

O salário mínimo subiu pouco mais de 6%.

Afinal, a Coelba pensa que somos o que?

Creio que a população, todos os que nos sentirmos agredidos, devemos buscar a defensoria pública para deter tal abuso. Todos, mesmo. Afinal, sem nós consumidores, nem existia Coelba!!!

Quanto ao Banco do Brasil, quero manifestar minha profunda tristeza pelo péssimo atendimento do mesmo.

Primeiro porque clientes da classe trabalhadora como eu e outros milhares, que recebem seus vencimentos por esse banco, lhe viabiliza e o faz crescer, com lucros estrondosos que o Banco do Brasil teve em 2010, da ordem de  r$ 11,7 bilhões, o maior da história dos bancos brasileiros, segundo dados da economática, não são atendidos por telefone - mesmo após as 8h - antes de abrirem suas portas ao público às 11 h nem após as 16 h enquanto o dinheiro do povo está em suas mãos e os enriquece 24 h por dia, e, durante o expediente normal, tenho tido a maior dificuldade de ser atendido pela gerência de minha conta.

Estou denunciando aqui e, se continuar assim o mal atendimento, ingressarei na justiça pedindo justiça.

Eles precisam entender que nós, o povo, a população, paga para eles trabalharem, o povo é seu patrão e não o contrário!!!

Muito obrigado.

Paulo Pinto - Professor Universitário