RedeGN - Súmula aponta que Sport não quis retornar a campo na partida contra Juazeirense, pela Copa do Brasil

Súmula aponta que Sport não quis retornar a campo na partida contra Juazeirense, pela Copa do Brasil

O árbitro da partida entre Juazeirense e Sport Recife, realizada nesta quarta-feira (10) no Adauto Moraes, válida pela Copa do Brasil, declarou na súmula que o Sport Recife se recusou a voltar a campo para a finalização do jogo interrompido por falha no sistema de iluminação do estádio.

De acordo com o relato do árbitro Ramon Abatti Abel, da Federação Catarinense, ele anotou que informou aos capitães das duas equipes sobre o reinício da partida e que o capitão do Sport comunicou que o seu time não voltaria a campo:

conversei com os capitães das equipes e informei que a partida seria reiniciada em 10 minutos, já que para mim a iluminação era suficiente. Solicitei que comunicassem suas equipes que havia condições de jogo. Transcorridos estes 10 minutos, me posicionei com equipe de arbitragem no campo de jogo para o reinício dos 5min restantes da partida. A equipe mandante posicionou-se prontamente para o reinicio, porém a equipe visitante negou-se a se posicionar para o reinicio da partida, assim me dirigi ao banco de reservas onde a equipe se encontrava e fui informado pelo capitão Sr. Patric Cabral lalau que a equipe não retornaria para reinicio do jogo”, anotou claramente.

No relato encaminhado à CBF, o Juiz relatou que houve queda de energia em duas oportunidades, houve o tempo necessário de espera e que havia condições de jogo: “informei que a partida seria reiniciada em 10 minutos, já que para mim a iluminação era suficiente”, escreveu.

O árbitro relatou que expulsou um dos gandulas “aos 31 minutos do 2º tempo expulsei um dos gandulas “por persistir em não repor a bola de jogo” e relatou nas conclusões finais que, em relação ao jogo em si, ”Nada Houve de anormal”: “Motivo de atraso no início e/ou reinício, e de acréscimos: Foi respeitado um minuto de silêncio em homenagem as vítimas do covid 19.acréscimos motivados por substituições, atraso de reposição de bola pelos gandulas, entrada da ambulância ao campo de jogo para atendimento de atleta supostamente lesionado, entrada da maca ao campo de jogo para a retirada de atletas supostamente lesionados e a interrupção da partida devido ao acionamento do sistema de irrigação. Observações Eventuais: Nada houve de anormal”, finalizou.

Enquanto o Sport Recife amagou a terceira desclassificação na primeira etapa da últimas edições da Copa do Brasil, a Juazeirense avançou para a próxima etapa da competição.

Da redação redeGN