RedeGN - Pesquisa do IPA leva à nova variedade de tomate

Pesquisa do IPA leva à nova variedade de tomate

Uma nova variedade de tomate, com frutos firmes, de coloração vermelha uniforme, tamanho variando de médio a grande e excelente para o consumo in natura é a nova aposta do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) para os campos de cultivo do Sertão do estado. Desenvolvida pelos pesquisadores da Estação Experimental do IPA de Belém de Sertão do São Francisco, a variedade está na reta final de estudos e suas sementes poderão estar disponíveis aos agricultores já no próximo ano, assim que cumpridas as formalidades de registro junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A colheita, que ocorreu em fase experimental,  na Ilha de Assunção, onde o IPA mantém uma estação experimental proporcionará os últimos estudos laboratoriais necessários à confirmação de algumas qualidades físico-química dos frutos. Das seis etapas de análises exigidas pelo Mapa, o IPA já cumpriu cinco, o que abre uma ampla oportunidade das sementes chegarem aos produtores da região em 2012, levando à mesa dos pernambucanos uma nova e resistente variedade de tomate já batizada informalmente de IPA-Belém, em homenagem à região.

Durante a visita técnica, que contou com as presenças do presidente do IPA, Júlio Zoé de Brito, do secretário de Agricultura de Belém do São Francisco, Wilson Roriz, pesquisadores, técnicos, extensionistas e produtores, Júlio Zoé comemorou o resultado de doze anos de estudos para a obtenção de uma nova variedade de tomate pelo pesquisador Ednardo Ferraz. “É necessário reconhecer os esforços desses profissionais que dedicam anos de suas vidas a estudos que contribuem para que a região se torne referência na cultura do tomate em âmbito nacional”, destacou.

Para o presidente do IPA, O momento é realmente de grande comemoração, pela determinação e persistência do pesquisador Ednardo Ferraz, que passou anos de sua vida se dedicando a essa pesquisa e, agora, está colhendo este fruto. “É um trabalho árduo, de longo prazo, mas de uma importância social enorme para o Sertão pernambucano” arrematou. Já o pesquisador Ednardo Ferraz explicou que todo o trabalho de melhoramento genético levou em consideração as necessidades dos produtores e das donas de casa, desde o formato do fruto, ligeiramente alongado, à resistência a vários tipos de doenças, pragas, calor e condições adversas de transporte.

O secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Ranilson Ramos, destacou a importância da nova variedade para o fortalecimento da cadeia produtiva do tomate no Sertão, assim como seus efeitos econômicos e sociais para a região. “Os investimentos em tecnologia são importantes, pois garantem ao estado um destaque na produção do fruto para o consumo de mesa e de processamento industrial”,  afirmou.

A IPA-Belém, como vem sendo chamada, possui produtividade média de 80 toneladas por hectares, podendo chegar até 120 toneladas. Outra vantagem é a resistência dupla ao mosaico dourado (geminivírus) e vira-cabeça (tospovírus), o que reduz a aplicação de defensivos e, consequentemente, os custos de produção. Também são características da nova variedade, o hábito de crescimento determinado, dispensando o estaqueamento e a excelente cobertura dos frutos, com ciclo de 120 a 125 dias. Tem, ainda, ampla capacidade de adaptação ao Semiárido nordestino, podendo o seu plantio ser realizado ano todo.

Asscom