RedeGN - Retomada de atividades do Programa Bioma Caatinga em Casa Nova

Retomada de atividades do Programa Bioma Caatinga em Casa Nova

Conhecer, mapear e caracterizar a realidade local das cinco regiões do Programa Bioma Caatinga, este é objetivo principal do programa que reuniu na manhã de hoje (11), em Casa Nova produtores rurais, secretários municipais, Sebrae, Banco do Brasil e associações do município.

Durante a reunião foi elaborado o plano de ação da Markstrat, empresa que executará as ações no município, na próxima quinta-feira (17). O projeto Bioma Caatinga é resultado de uma ação conjunta entre vários agentes institucionais na esfera federal, estadual e municipal, e tem como finalidade gerar o desenvolvimento regional sustentável por meio da estruturação das cadeias produtivas da ovinocultura e caprinocultura de corte e leiteira.

"O projeto promove melhorias na vida do homem do campo, é através dele que acontecerá o melhoramento do rebanho”. Assim define o secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente José Hermelino dos Santos. O secretário afirma ainda que o caprinovinocultor  de Casa Nova aplicará as tecnologias aprendidas, e com isso, melhorará agricultura de subsistência.

No território Sertão do São Francisco, os municípios beneficiados são Juazeiro, Remanso, Casa Nova, Curaçá e Uauá, cujos rebanhos juntos, correspondem a 70% dos ovinos e 75% dos caprinos da região. Grupos de produtores organizados de forma associativa que tenham rebanhos acima de 60 (sessenta) animais são o público do projeto.

De acordo com a consultora do Sebrae, Maria Helena Gomes, o Sebrae coordena o Bioma Caatinga na Bahia, juntamente com o Banco do Brasil, e vai atuar sobre duas esferas importantes: gestão de empreendimentos e prospecção e desenvolvimento de mercado. O Bioma Caatinga foi desenvolvido a partir de uma parceria entre a Fundação Banco do Brasil, Governo do Estado, Governo Federal, Sebrae, BID, Sistema Faeb/Senar, Embrapa, Adab, CAR, Univasf, Conab, Fetag, Codevasf, Cerb, além de prefeituras municipais e sindicatos locais.

Lidiane Cavalcante Asscom PMCN