RedeGN - INSS anuncia que não há previsão de retorno para perícias médicas

INSS anuncia que não há previsão de retorno para perícias médicas

Depois de mais de cinco meses com as portas das agências fechadas por causa da pandemia, o INSS ainda não tem prazo para normalizar o serviço de perícias médicas. A cena se repetiu nesta quarta-feira (16) nas agências do INSS. Em muitas cidades, problemas no atendimento. Sem perícia médica, segurados tiveram que voltar para casa.

Um dos serviços públicos mais requisitados durante o período de pandemia tem sido aqueles prestadas pelo INSS. Seja pela crise sanitária que trouxe consigo milhares de doentes e mortos, seja pela queda de renda da população, a busca por benefícios previdenciários cresceu sobremaneira.

Desde segunda (14) o que deveria ter sido o dia da reabertura das agências do INSS depois de meses, foi um pesadelo para dezenas de juazeirenses. A falta de médicos peritos é considerado um desrespeito para quem precisa da prestação de serviço.

A professora de Direito Previdenciário Jane Berwanger disse que não há desculpa para a falta de atendimento no INSS depois de tanto tempo com as agências fechadas: “É realmente um descaso, um desrespeito com essas pessoas, com essa enorme dificuldade. Foram pelo menos cinco vezes que o INSS adiou a abertura das agências com a promessa de que quando abrisse estaria tudo ok. E, de repente, no dia não estava tudo certo."

Ontem a reportagem da redeGn foi conferir o atendimento da Agência do INSS em Juazeiro, Bahia e flagrou a insatisfação e em alguns casos o 'desespero" de trabalhadores que precisam de péricias médicas, e ou consolidar os documentos para aposentadoria e outros serviços para receber salário.

O atendimento em Juazeiro só acontece de forma remota e por meio de agendamento. Prevista a reabertura gradual das agências da Previdência Social e o retorno das atividades presenciais do Instituto Nacional do Seguro Social o que se assiste em Juazeiro é o sentimento de frustração e revolta.

Para agendar horário, é necessário acessar Meu INSS (gov.br/meuinss e aplicativo) ou ligar para o telefone 135. Em todo o Brasil há mais de 750 mil pedidos aguardando perícia, metade deles para a concessão do benefício de prestação continuada, o BPC. Há ainda mais de 900 mil pedidos parados por falta de alguma informação ou documento dos segurados.

Enquanto o serviço não volta ao normal, o Jornal Nacional mostrou ontem que segurados como Janaína da Silva, que precisa reagendar a perícia médica para renovar o benefício, enfrentam a lentidão do telefone 135 e do aplicativo Meu INSS. O governo alega alta procura e diz que o serviço deve se normalizar nos próximos dias.

“Só por agendamento. Mas você entra no Meu INSS e não agenda. Não tem nada com o INSS. Nada. Me mandou agora ligar pra um outro número. 135 também não funciona. Está ocupado 24 horas. Eu ligo de madrugada e está ocupado. Nem trabalha, nem recebe. Como que fica aqui, como que fica a situação da gente?”, questiona Janaína.

Redação redeGN Fotos Ney Vital