RedeGN - Em nota, CDL de Juazeiro declarou que não apoiou protesto de lojistas

Em nota, CDL de Juazeiro declarou que não apoiou protesto de lojistas

A CDL Juazeiro não apoiou os manifestos que ocorreram ontem (22), com o objetivo de pressionar as autoridades para reabertura do comércio local.

Pelo instagran a CDL esclareceu que não apoiou essa iniciativa porque vem desde o dia 6 de abril, discutindo com o poder público, de forma séria, direta, técnica e propositiva a reabertura do comércio varejista da cidade.

Segundo nota da CDL, vários documentos foram elaborados e enviados ao prefeito municipal, apresentado a viabilidade e necessidade de funcionamento do comércio de Juazeiro. Foram 4 encontros realizados com o prefeito e três com o Comitê  da Gestão da Crise, tendo outras entidades parceiras, como Acaj, Sindilojas, Sindicom, Sindhaj, Aedisf e Sebrae, respaldando essa movimentação da CDL.

Na manhã  da última terça-feira (19), o prefeito Paulo Bomfim, esteve com o presidente da CDL, Murilo Matos, e disse que "estava se preparando para reabertura do comércio do comércio para o mês de junho". 

"Diante do encontro a CDL preparou a apresentação do seu 2º Plano Gradual de Reabertura do Comércio, acreditando que o esforço no diálogo aberto com o executivo  municipal desde o dia 6 de abril permitirá que o comércio volte a funcionar no limiar de junho".

Ainda de acordo com a nota exposta nas redes sociais: "A CDL não tem vinculação político partidária. Seu compromisso é com a defesa permanente do comércio varejista de Juazeiro no ambito da legalidade, das normas e do posicionamento institucional junto aos poderes constituídos. Esse é o canal de diálogo que a CDL, juntamente com outras entidades abriu desde o início do fechamento do comércio, dia 24 de março, para resolver a crise que envolve saúde e economia na cidade de Juazeiro. Todo e qualquer lojista que desejar, junte-se a nós nessa premissa de união em prol do bem comum, afinal, juntos somos mais fortes".

Ontem comerciantes e empresários de Juazeiro e Petrolina protestaram a favor da reabertura do comércio durante a quarentena e a flexibilização dos decretos estabelecidos pelos prefeitos dos dois municípios.

As manifestações repercutiram nos meios de comunicação da capital da Bahia e Pernambuco. Os meios de comunicação destacam que o grupo se reuniu, em Juazeiro, na Praça Cordeiro de Miranda, onde está localizada a estátua de Santiago Maior, na orla fluvial da cidade e se dirigiu para a Prefeitura Municipal.

Já em Petrolina uma carreata percorreu as principais ruas e avenidas, também indo protestar na frente da prefeitura. Nos carros dos manifestantes, adesivos na cor verde e amarela traziam a seguinte frase: “Precisamos salvar nossas empresas”. Segundo os organizadores, o protesto contou com cerca de 200 carros. A manifestação foi organizada em grupos de WhatsApp.

Os protestos foram pacíficos, de acordo com a Polícia Militar.

Redação redeGN