RedeGN - O dia em que Moraes Moreira e seu filho Davi viraram embaixadores de honra da FLA-Juazeiro

O dia em que Moraes Moreira e seu filho Davi viraram embaixadores de honra da FLA-Juazeiro

Em 1979, ano do terceiro tricampeonato, Moraes Moreira brindou a gênesis da geração de ouro com a música “Vitorioso Flamengo”. Outras canções do cantor e compositor baiano foram, ao longo dos anos, retratando as glórias e a magia do Mais Querido, inspiradas principalmente pela genialidade do Galinho de Quintino, conforme atestam os versos “Galinho de Quintino, Flamengo menino”, da música Sangue, Suingue e Cintura.

E uma das mais emblemáticas, a que traduziu a falta que Zico fez à nação quando foi vendido à Udinese, em 1983, “Saudades do Galinho”. Poéticas e3 musicais homenagens de um dos maiores mestres da MPB, ecoadas pela magnética. 

Já Davi Moraes é o representante da nova geração que mantém a qualidade da música brasileira em alto nível e a tradição de exaltar o Mengo não apenas nas criações, mas também na atitude perante o público. Características pertinentes apenas aos artistas flamengos, que não se eximem em declarar a paixão pelo clube do povo porque este arrebata de forma avassaladora os flamejantes corações rubro-negros. Ao contrário dos seus colegas de arte, que torcem de maneira moderada pelos seus times e quando se declaram, o fazem timidamente.

Enquanto os trios elétricos puxavam a agitada massa da pipoca na avenida, na noite de 29 de maio de 2010, o palco alternativo do carnaval fora de época de Juazeiro/BA recebia mais de cinco mil pessoas para o contagiante show de Moraes Moreira.

Clássicos carnavalescos como “Chame Gente”, “Pombo Correio” e “Vassourinhas”, além de vários sucessos dos Novos Baianos encantaram o público. Até que em determinado momento do espetáculo o velho mestre passou o comando para o talentoso filho. E então gratificantes surpresas arrebataram os presentes, quando o versátil Davi Moraes mostrou que não é somente um extraordinário instrumentista e reconhecido virtuose da guitarra, mas também um competente cantor. No show, uma espetacular interpretação de “Emoções”, verdadeiro hino do rei Roberto Carlos transformada num contagiante blues. 

A ideia de agradecer as manifestações de latente rubronegrismo demonstradas por Moraes ao longo consagrada carreira – paixão essa absorvida com ardor pelo o filho Davi – nasceu após o show do réveillon de 2009 quando os artistas tocaram num clube da cidade. Na ocasião o intuito era entregar a velho artista a camisa oficial das embaixadas ofertada pela Olympikus durante a diplomação na Gávea naquele mesmo ano. Mas pelo tamanho ficou evidente que o nosso manto oficial não serviria para vestir o mestre. 

Foi quando Davi assumiu o microfone e segurando uma bandeira do Mengo entoou o que a maioria ali queria ouvir: “É Hexa! Mengoooooooo!!!” e emendou tocando de maneira sublime o nosso Hino Popular Rubro-Negro em ritmo de rock n’ roll. Delírio geral. 

Não havia mais dúvida, se não cabia no Moraes, então tinha de ser do Davi. Encerrado o show nos apresentamos no camarim e o presente foi entregue ao artista. Recebendo a camisa com uma felicidade sem tamanho, o músico vestiu de imediato e a mostrou para o orgulhoso pai rubro-negro, de quem herdou o amor pelo Mais Querido.

Com o aval das então 34 Embaixadas da Nação, a FLA-Juazeiro – representada pelo presidente Luiz Hélio (que fez o click dessa foto na qual está presente o sócio Paulo César) – oficializou a entrega dos diplomas aos artistas durante a apresentação deles no carnaval de Juazeiro. Ciente da homenagem que receberia em seguida, Davi mais uma vez dedilhou na guitarra os acordes do hino, para alegria da massa flamenga que acompanhava o show. Já Moraes Moreira não escondia a satisfação por estar sendo oficializado como Embaixador da Nação e não parava de apreciar o diploma, que teve projeto gráfico assinado pelo embaixador Markim Souza, de nossa querida FLA-São Luís.
 
“Para mim é uma honra ser embaixador dessa nação maravilhosa. O Flamengo tem essas coisas mágicas de aproximar as pessoas através dessa paixão tão linda”, declarou Moraes. 

O guitarrista também não escondeu a alegria. “Estou muito feliz por agora fazer parte desse belo projeto em prol do Mengão. O diploma ficará na parede do meu estúdio para todo mundo ver que sou um Embaixador da Nação”, ressaltou Davi.

Viva Moraes, eterno novo baiano, grande compositor e apaixonado rubro-negro. Saudades sempre!

Luiz Hélio - Jornalista