RedeGN - HIDRELÉTRICA DE XINGÓ TEM AUMENTO DA VAZÃO PARA MELHORAR CONDIÇÕES DAS ÁGUAS DO BAIXO RIO SÃO FRANCISCO

HIDRELÉTRICA DE XINGÓ TEM AUMENTO DA VAZÃO PARA MELHORAR CONDIÇÕES DAS ÁGUAS DO BAIXO RIO SÃO FRANCISCO

O reservatório de Xingó (AL/SE), no rio São Francisco, passou a liberar uma vazão no patamar de 800 metros cúbicos por segundo, desde sábado, 11 de janeiro, em vez dos 700m³/s que vinha sendo praticados desde o fim do ano passado. A medida busca garantir mais água para atendimento dos usos múltiplos do recurso no Baixo São Francisco e melhorar as condições da água no baixo São Francisco.

Pela proposta, este novo patamar de operação de Xingó, a ser praticado pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (CHESF), será mantido se as projeções para o reservatório de Sobradinho (BA) continuarem apontando um volume útil superior a 55% no fim de maio deste ano. Caso contrário, as defluências de Xingó poderão ser revistas. 

Esta nova forma de operação pela CHESF atende à Resolução nº 90/2018, da Agência Nacional de Águas (ANA), publicada no Diário Oficial da União de 28 de novembro. O documento autoriza a liberação mínima de uma média diária de 550m³/s de água pelos reservatórios de Sobradinho (BA) e Xingó, além de uma defluência instantânea mínima de 523m³/s. 

A bacia do São Francisco passa por seca desde 2012, maior período contínuo do fenômeno já registrado na região. Por isso, desde abril de 2013, os reservatórios de Sobradinho e Xingó vêm operando com uma defluência mínima abaixo de 1300m³/s, utilizada em situação de normalidade, devido às chuvas e afluências abaixo da média na bacia do Velho Chico. 

Atualmente o Reservatório Equivalente da Bacia do Rio São Francisco – formado pelos reservatórios de Três Marias (MG), Sobradinho (BA) e Itaparica (BA/PE) – estava com 41,43% de seu volume útil em 6 de janeiro, sendo que um ano antes o total acumulado era de 13,68%. Sobradinho acumula 30,02% de seu volume útil. 


 

Ascom ANA