RedeGN - Aleluia associa ida de fábrica da Fiat para Pernambuco a desprestígio de Wagner

Aleluia associa ida de fábrica da Fiat para Pernambuco a desprestígio de Wagner

“A instalação da nova fábrica da Fiat em Pernambuco revela que o presidente Lula é um ‘mui amigo’ do governador Jaques Wagner ou, então, que há muita falta de vontade para trabalhar no atual governo baiano”, afirmou o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA), ao ler, ontem (10/12), a matéria publicada no jornal “O Estado de São Paulo”, que noticia a instalação da segunda unidade brasileira da montadora italiana em Pernambuco. Primeiro relator do regime especial automotivo que foi alterado para beneficiar a instalação da Fiat em Pernambuco, o parlamentar democrata lembra que, em 1999, quando houve a manifestação do desinteresse da Ford em instalar sua nova fábrica no Rio Grande do Sul, a história foi bem diferente. “Ao lado do senador Antonio Carlos Magalhães e do governador César Borges, eu e toda a bancada do PFL baiano, na ocasião, nos esforçamos e conseguimos levar a Ford para a Bahia. Não foi nada fácil, mas fizemos prevalecer o interesse baiano”.

Agora, de acordo com Aleluia, o que se observa é uma grande omissão do atual governo baiano em tentar atrair um novo empreendimento industrial para fortalecer e consolidar o parque automotivo do estado. “Depois do fracasso na tentativa de atrair a Toyota, que foi para São Paulo, o governo parece ter jogado a toalha e ficado resignado diante do maior prestígio do governador pernambucano com Lula”, observa Aleluia. Para facilitar a implantação do empreendimento automotivo no estado nordestino, segundo a reportagem do jornal paulista, o presidente Lula, a pedido do governador pernambucano Eduardo Campos, fez uma alteração na medida provisória que prorrogou até 2020 o regime tributário especial para montadoras no Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

A alteração, de acordo com a matéria, foi sob medida para beneficiar a instalação da Fiat em Pernambuco. Não havendo no estado nenhuma montadora habilitada a usufruir dos benefícios fiscais, mas apenas indústrias de autopeças, a exemplo da baterias Moura e da fábrica de chicotes elétricos TCA, foi aberta uma janela, no período de 26 de novembro a 29 de dezembro deste ano, para que os benefícios das fornecedoras pudessem ser transferidos a montadoras. Para se habilitar ao regime especial, a Fiat está comprando a TCA.

“O ex-governador Paulo Souto recentemente comentou na imprensa sobre essa alteração na Medida Provisória e até sugeriu ação do governo baiano para aproveitá-la, mas, pelo jeito, quando se fala em trabalhar todo mundo no Palácio de Ondina faz ouvido de mercador”, ironiza Aleluia. Para o deputado federal, na Era Lula, só deu Pernambuco e a Bahia ficou para trás, por causa da inoperância do governo estadual. “Os pernambucanos ganharam refinaria, siderúrgica, pólo têxtil, estaleiros e, agora, a nova fábrica de automóveis da Fiat. E a Bahia, como é que fica”, indaga.