RedeGN - ARTIGO – A “PÁTRIA EDUCADORA” SERIA UM SONHO?