RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 39 registros para a palavra: energia eolica

Bahia retoma liderança nacional na geração de energia eólica

A Bahia retomou a liderança nacional na geração de energia eólica com 32,16% da produção. O estado também é líder na geração de energia solar, com 30,89%.

Os dados, de março de 2022, são da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e estão nos Informes Executivos de Energia Eólica e Solar produzidos pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE). Os documentos estão disponíveis no site: www.sde.ba.gov.br. ..

Artigo - Energia eólica: a omissão e a conivência dos órgãos ambientais

Nosso país possui um enorme potencial em energias renováveis, em particular a energia dos ventos (energia eólica) na região Nordeste, com a qual poderá gerar energia para as atuais e futuras gerações, e assim contribuir no enfrentamento às mudanças climáticas, com a redução da emissão de gases de efeito estufa.

Todavia o atual crescimento vertiginoso das instalações dos parques eólicos, nos estados nordestinos, e em Pernambuco em particular; está assentado em um modelo de expansão predatório, que não respeita o homem do campo e a natureza que o rodeia, assim contribuído para inúmeros conflitos e impactos socioambientais...

MP participa de debate sobre impactos das atividades de mineração e energia eólica na região de Jacobina

O Ministério Público estadual, por meio do promotor de Justiça Pablo Almeida, participou de um debate sobre os impactos ambientais provocados pelas atividades de mineração e energia eólica nas serras da região de Jacobina, que ocupam o território de 11 municípios baianos.

A audiência, promovida pela Frente Parlamentar Ambientalista da Assembleia Legislativa da Bahia, contou também com a participação de representantes dos Comitês de Bacia do Rio Salitre e Rio Itapicuru, do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), dos Colegiados  Territoriais de Desenvolvimento Sustentável (Codeter), além de universidades, comunidades tradicionais, quilombolas e integrantes da sociedade civil organizada...

Bahia vai ganhar segundo maior complexo híbrido de energia do Brasil. O primeiro também será no estado, em Sento-Sé

Com a capacidade de produzir um extraordinário volume de energia elétrica, a Quinto Energy vai colocar a Bahia numa posição de destaque na geração de energia elétrica no país, com a implantação do Complexo Eólico e Solar Alfazema, nos municípios de Ibicoara e Barra da Estiva, considerado o segundo maior complexo híbrido em desenvolvimento do país, com capacidade de produzir 5,8 TWh por ano.

De acordo com Rafael Cavalcanti, um dos diretores da empresa, o investimento é de R$ 4,8 bilhões e a estimativa é que possa gerar cerca de 11 mil empregos diretos...

Bahia se consolida na liderança da geração de energia eólica e solar no país

A Bahia se manteve líder na geração de energia elétrica a partir das fontes eólica e solar no país em 2020. Pelo segundo ano consecutivo, o território baiano ocupa a primeira posição do ranking nacional na produção em ambas as fontes renováveis.

O trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Governo do Estado, através das Secretarias de Infraestrutura (Seinfra) e de Desenvolvimento Econômico (SDE), para a atração de investimentos contribui na consolidação do resultado...

ENERGIA EÓLICA DEVE GERAR R$ 12,5 BI EM INVESTIMENTOS NA BAHIA

O Brasil tem 659 parques eólicos, 26,7% estão na Bahia. São 176 complexos movidos pelos ventos espalhados por 20 municípios e mais de 1,3 mil aerogeradores em operação, com capacidade instalada de 4,3 Gigawatts (GW). Desde 2012, o montante investido nos parques em atividade ultrapassa os R$ 17 bilhões, onde foram gerados mais de 48 mil empregos diretos na fase de construção.

Os dados constam no Informe Executivo mensal de Energia Eólica da SDE. A Bahia tem 119 parques em construção e com construção prestes a iniciar, com capacidade instalada de 3,3 GW. A previsão é que, juntos, possam injetar R$ 12,5 bilhões em investimentos no estado e gerem 50,3 mil empregos diretos e indiretos. Com as novas usinas, a Bahia pode alcançar 7,7 GW de potência instalada em eólica...

A alvorada da geração de energia eólica marítima (offshore) e sua segurança jurídica

Rafael Filippin*

O crescimento vigoroso das energias renováveis não é mais uma novidade. Quem acompanha o tema tem visto notícias e documentos publicados por instituições financeiras e por agências internacionais mostrando dados que confirmam essa tendência...

No Dia Mundial do Vento, Bahia firma liderança com 31% da energia eólica gerada no país

Quando os ventos sopram forte, mais que ventania, geram energia acima da média. E, na Bahia, mantém o estado na liderança do segmento de energias renováveis do país. Foi o que ocorreu no município de Morro do Chapéu, quando o fator de capacidade de geração de energia do complexo eólico Ventos de Santo Abraão, da Enel Green Power, foi de 52,1%, em abril, maior registrado no período.

A energia gerada por fonte eólica na Bahia, no primeiro quadrimestre do ano, representa 31% em relação ao restante do país, o que consagra a liderança nacional...

Bahia gerou mais de 30% da energia eólica e solar do país em 2019

A Bahia liderou nacionalmente, com mais de 30%, a geração de energia por fonte eólica (31,8%) e solar fotovoltaica (33,7%) em 2019. A fonte eólica no estado cresceu mais de 50% e a fotovoltaica mais de 70% em relação a 2018. Os parques que estão em operação já investiram mais de R$ 20 bilhões e criaram mais de 32,2 mil empregos. Os dados constam do Informe Executivo de Energias Renováveis de dezembro, divulgado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) nesta sexta-feira (24). 

“Os números são muito claros. A Bahia é protagonista do segmento de renováveis no país. Além de contribuir para a diversificação da matriz energética, o setor alavancou o desenvolvimento econômico e social no interior, especialmente no semiárido, onde a maioria dos parques estão implantados. Arrendamento de terras, movimentação econômica, empregos, projetos sociais e aumento na arrecadação das cidades são alguns dos benefícios”, afirma o vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, João Leão...

Bahia é o estado com maior geração de energia eólica no país

Líder nacional no número de parques, são 160 em operação, e na comercialização de projetos, a geração de energia eólica na Bahia cresceu 49,9% no primeiro semestre de 2019, quando comparado com o mesmo período do ano passado. A produção, entre janeiro e junho deste ano, foi de 7.262 Gigawatt/hora (GW/h), enquanto no mesmo período de 2018 foi de 4.844,2 GW/h. Além de registrar a maior taxa de crescimento, graças aos novos parques em funcionamento, os números fizeram o estado liderar nacionalmente na produção energética.

Segundo o Panorama de Energias Renováveis de setembro, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Bahia (SDE), a geração de energia produzida no primeiro semestre deste ano, no estado, pode abastecer 9,6 milhões de residências/mês e até 28,8 milhões de habitantes. O estado apresentou os melhores aproveitamentos do vento para a geração de energia do país, no período. Os ventos baianos têm velocidade superior a necessária para a geração de energia, é unidirecional e constante. A região onde os parques estão instalados possui fatores de capacidade superior a 50% e atinge picos de 85% em meses mais produtivos...

Projetos de energia eólica serão financiados pelo FDNE

São dois projetos estimados em R$ 142 milhões (cada um) de investimento total (Vila Piauí 1 Empreendimentos e Participações S/A e Vila Piauí 2 Empreendimentos e Participações S/A), que contarão com R$ 85,2 milhões (cada um) do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE).  A participação do Fundo foi aprovada pela Diretoria Colegiada da Sudene e pode ser de até 60% do investimento total, limitado a 90% do investimento em capital fixo. Os empreendimentos – pertencentes ao grupo econômico Echoenergia Participações S/A – se enquadram nas diretrizes e prioridades espaciais e setoriais para aplicação de recursos do Fundo.

Juntos, eles terão uma capacidade instalada da ordem de 75,6 MW e contribuirão com a geração de 400 empregos diretos e seis mil indiretos durante a fase de implantação. Quando estiverem em plena operação os empregos diretos serão mantidos. A Coordenação de Fundos de Desenvolvimento da Sudene informa que, além da criação de postos de trabalho, a região se beneficiará com a geração de renda, decorrente da remuneração rateada de forma uniforme entre todos os lotes das Vilas em que os Parques estão instalados...

Secretário de Meio Ambiente de Juazeiro se reúne com representantes de empresa de energia eólica que será instalada na cidade

O secretário de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano de Juazeiro (SEMAURB), Jadson Barros, recebeu nesta terça-feira, 06, em seu gabinete, o gerente de projetos da empresa CasaForte Eólica, Eduardo Oertli, e o supervisor de projetos Péricles Matos. O objetivo da visita foi apresentar o Projeto Vento da Serra Verde, que prevê a implantação de 71 aerogeradores (torres de energia eólica) em Juazeiro, próximo à divisa com Campo Formoso. O secretário ressaltou o compromisso da gestão com as causas ambientais e falou da importância da empresa na região.

“O prefeito Paulo Bomfim é um gestor atento as questões ambientais e está ansioso pelo Projeto Vento da Serra Verde. É preciso manter um meio ambiente equilibrado e este tipo de projeto é benéfico, tanto na produção de energia limpa, como também na geração de empregos, setor onde Juazeiro vem sempre se destacando. Com a implantação deste projeto, com certeza o município se firmará como grande pólo de energia renovável”, concluiu...

Comissão visa acompanhar a exploração da energia eólica e da Bacia do Rio São Francisco no Estado baiano

Iniciando seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa do Estado da Bahia, o deputado Junior Muniz (PP), com o deputado Tum (PSC), requereram criação de Comissão Temporária de Representação com o objetivo de acompanhar e fiscalizar o uso dos recursos naturais renováveis e não renováveis na Bahia, especialmente os relativos às barragens, às barragens de rejeitos de minérios, o uso da Bacia do Rio São Francisco e dos parques de energia eólicas, cuja exploração e utilização é realizada de forma direta e indireta pelo Governo da Bahia e pelas Empresas Privadas, com recursos públicos e privados.

Para Junior Muniz a fiscalização de forma contundente é necessária para evitar acidentes como os ocorridos nas duas Barragens de Rejeitos de Minérios pertencentes a Companhia Vale do Rio Doce, em Minas Gerais. "Esta Comissão viria como mais uma importante ferramenta voltada a cuidar dos nossos recursos naturais, através de fiscalização e controle, atentando para a prevenção a possíveis tragédias em nosso Estado, até porque a Vale tem grande atuação aqui", salientou o parlamentar...

Bahia vai assumir a liderança do setor de energia eólica do país ainda neste semestre

A Bahia irá assumir ainda no primeiro semestre deste ano a liderança na geração de energia eólica em todo o país. Atualmente, este   ranking é liderado pelo  Rio Grande do Norte. Segundo dados atualizados, anteontem,  pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a Bahia possui 138 parques eólicos em operação, com capacidade total para gerar 3.547 MW de potência.

A Bahia conta com 56 parques em construção (total de 942 MW), sendo que 30 deles ficarão prontos antes de julho deste ano, aumentando a capacidade de geração de energia eólica  em mais 600 MW – o restante deve ficar pronto em 2020. Segundo a Aneel, ainda para a Bahia há outros 35 parques eólicos (660 MW) com construção ainda não iniciada. Quando concluídos, provavelmente em 2023, o estado terá 229 parques com capacidade total para gerar 6.270 MW...

Produção de energia eólica no país atinge marca de 14 gigawatts  

A produção de energia eólica no Brasil atingiu a marca de 14 gigawatts (GW) de capacidade instalada. Os dados referentes à medição de setembro foram divulgados ontem (5) pela Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica) e mostram que o total da produção dessa matriz energética é equivalente a mesma capacidade instalada de Itaipu, a maior usina hidrelétrica do Brasil.

No total, são 14,34 GW de capacidade instalada em 568 parques eólicos e mais de 7.000 aerogeradores em 12 estados. Os estados da Região Nordeste agregam a maior parte da produção. O Rio Grande do Norte aparece em primeiro lugar com 146 parques e 3.949,3 megawatts (MW) de potência. Em seguida vem a Bahia, com 133 parques e potência de 3.525 MW; o Ceará vem em terceiro lugar, com 2.049,9 MW de potência e 80 parques instalados...

Tempos de Produção desta quinta-feira (6) debaterá oportunidades na área de energia eólica

O projeto de extensão Tempos de Produção, vinculado ao Colegiado de Engenharia de Produção da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), promoverá nesta quinta-feira (6) seu sexto encontro deste ano. O tema desta edição será “A energia eólica e as oportunidades para o profissional da engenharia” e vai acontecer no Núcleo Temático 29, no Campus Juazeiro, a partir das 8h.

O evento é gratuito, aberto à toda comunidade e a sua inscrição é feita através do site do projeto ou presencialmente, no local. A palestra será ministrada pelo engenheiro mecânico Alexandre Gavira Marques, supervisor de produção da Wobben Windpower, empresa de aerogeradores e produtora de energia elétrica oriunda de fonte eólica.  Esse tema foi escolhido porque, nos últimos anos, houve um grande investimento em energia eólica na Região Nordeste gerando, assim, desenvolvimento nesta área...

Bahia ganha 270 quilômetros de redes de transmissão eólica, Juazeiro está na lista

Referência em energias limpas, a Bahia ganhou uma importante estrutura para o setor, com a oficialização das entregas da Concessionária Odoyá Transmissora de Energia S.A. Serão instalados mais de 270 quilômetros de linhas de transmissão e quatro subestações. O anúncio foi feito pelo governador Rui Costa.

Rui Costa destacou a participação do Governo do Estado na promoção do desenvolvimento e atração de novas empresas do segmento de energia eólica e solar. “Estamos trabalhando, inclusive, para tornar a Bahia o centro de referência de energia solar, já que, entre todos os estados brasileiros, é o que oferece maior potencial em intensidade e extensão, tanto para energia eólica como energia solar”, ressaltou...

A força dos ventos: energia eólica supera a de outras usinas no Nordeste

Reservatórios de água em níveis críticos, o Nordeste brasileiro está vivendo de vento. Desde abril, a energia eólica, produzida pela capacidade dos ventos em girar gigantes aerogeradores, é a principal fonte de geração naquele subsistema, segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). 

A produção de energia eólica no Brasil está batendo recorde atrás de recorde, principalmente no Nordeste. Os bons ventos nunca foram tão bem aproveitados. O Brasil tem 457 parques eólicos, 80% deles estão no Nordeste. Juntos, eles têm capacidade de produzir 11,4 gigawatts de energia eólica. É o equivalente a uma usina de Belo Monte. Esses recordes seguidos de produção de energia a partir dos ventos têm duas explicações. Primeiro, porque novos parques eólicos estão sendo colocados em operação. ..

Intercâmbio problematiza a geração de energia eólica e solar no Submédio São Francisco

O interesse e a necessidade em conhecer de perto as vantagens e prejuízos existentes na geração de energia eólica e solar na região do Submédio São Francisco, motivou a Articulação Popular São Francisco Vivo a promover, nos dias 19 e 20 de agosto, um Intercâmbio nos municípios de Sento Sé e Juazeiro, no norte da Bahia.

Participaram da atividade representantes do Irpaa, Comissão Pastoral da Terra - CPT, de comunidades tradicionais Fundo de Pasto e estudantes que no primeiro dia visitaram  experiências de geração de energia eólica e energia solar, com o objetivo de conhecer os dois modelos de implantação e identificar os principais impactos positivos e negativos, sobretudo no modo de vida local...

Bahia é o segundo maior estado brasileiro em produção de energia eólica

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) constatou que a Bahia é o segundo maior estado brasileiro em produção de energia eólica, com 63 usinas em operação e mais de 1,58 GW, ultrapassando o Rio Grande do Sul, que, apesar de ter 67 usinas em operação, produz 1,55 GW. O primeiro lugar continua com o Rio Grande do Norte, com 97 usinas e 2,67 GW de potência instalada. O estado alcançou a marca na terça-feira (19), quando o Complexo Eólico Assuruá, formado por três usinas, em Gentio do Ouro, no Vale do São Francisco, entrou em operação, com capacidade instalada para produzir 68 Megawatts (MW). A perspectiva é que em maio, mais uma usina entrará em operação na região, a Assuruá VI.

“Até 2005 não tínhamos um projeto sequer de energia eólica. O Governo do Estado apostou em licenciamento ambiental para implantação dos parques e em desoneração fiscal para a atração de empresas produtoras de peças e equipamentos. São os bons ventos da Bahia combinados com o resultado de muito trabalho”, afirma o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jorge Hereda. A Companhia de Energias Renováveis (CER), responsável pelo empreendimento, vai inaugurar outros 194 aerogeradores, com capacidade de geração de 456 MW, no Vale do São Francisco, ainda em 2016. Na Bahia, está sob a responsabilidade da companhia 21 projetos eólicos e outros oito solar fotovoltaicos.

Os investimentos em eólica na Bahia são da ordem de R$ 18,5 bilhões em 186 usinas negociadas em leilões pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), do Ministério de Minas e Energia, com 4,5 GW de potência, distribuídas em 22 municípios do semiárido. Quando soma-se a esta conta o mercado livre, o número de empreendimentos sobe para 214, com um total de 4,88 GW de potência. O estado também começa a se destacar na produção de energia fotovoltaica – a partir da fonte solar – com inversões de R$ 4,2 bilhões em 32 empreendimentos instalados em cinco municípios.

Próximo leilão

A EPE habilitou 802 projetos no leilão A-5, marcado para o próximo dia 29. Ao todo serão 29.628 MW de capacidade instalada oferecido de diversas fontes, sendo a principal a eólica, com 17.131 MW oriundos de 693 projetos. Segundo a empresa, a Bahia continua concentrando uma grande quantidade de oferta de empreendimentos de energia eólica, somando 246 projetos com capacidade total instalada de 5.979 MW. O Rio Grande do Norte aparece na segunda posição, com 4.169 MW eólicos.

Na semana passada, mais de 600 quilômetros em linhas de transmissão foram arrematados pela WPR Participações LTDA., que fechou a negociação de dois lotes por R$181,6 milhões, durante o leilão realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em São Paulo. Os lotes estão localizados nas regiões de Juazeiro, Ourolândia, Bom Jesus da Lapa, Gentio do Ouro, Ibicoara e Poções. O resultado positivo eleva o escoamento de energia, nos próximos anos, e possibilita a atração de novos negócios na região sul e oeste do estado.
  ..