RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 39 registros para a palavra: energia eolica

Bahia vence leilão com 24 projetos de energia eólica e fotovoltaicos

A Bahia saiu vitoriosa do segundo Leilão de Energia da Reserva (LER/2015), realizado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), nesta sexta-feira (13), com 18 novos projetos eólicos e seis fotovoltaicos. Vencedora de 24 dos 53 projetos, a Bahia terá capacidade para gerar 662 MW de potência a partir de 2018.

De acordo com o secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, o processo de diversificação de fontes energéticas está sendo intensificado e os novos projetos vão expandir o potencial de geração de energia renovável no estado. “Este resultado é fruto do trabalho para consolidar a Bahia como maior geradora de energia renovável do País”. Segundo ele, com a conclusão do mapa solar, em fase de elaboração, será possível impulsionar ainda mais investimentos para o setor.

Serão destinados cerca de R$ 3 bilhões na construção dos novos empreendimentos de energia eólica e solar. Atualmente a Bahia possui 44 parques eólicos em funcionamento, outros 41 em construção e 125 contratados. Já empreendimentos solares somam 14 em andamento e dois grandes projetos em funcionamento.

Durante o leilão foram negociados 1.477,54 MW de potência, totalizando 53 projetos que deverão iniciar o fornecimento de energia elétrica no País a partir de novembro de 2018. No primeiro leilão deste ano, a Bahia foi vencedora com 12 projetos solares, seguido pelo Piauí (nove projetos), Minas Gerais (cinco), Paraíba (três) e Tocantins (um), totalizando a potência de 833,8 MW.  ..

Bahia supera a marca de 1GW na produção de energia eólica

Com 46 parques eólicos espalhados pelo estado, a Bahia atinge a potência instalada de 1,2 GW na produção de energia eólica, o equivalente à metade da energia elétrica que é distribuída no estado atualmente. A marca - alcançada depois que os parques eólicos Caetité A, B e C entraram em operação comercial, em setembro deste ano, coloca o estado na posição de quarto maior estado brasileiro em produção de energia. Nos próximos anos, a Bahia deve ocupar a primeira posição.

Segundo dados de setembro da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), o território baiano é o que mais possui parques eólicos em construção, um total de 164, quase o dobro do segundo colocado, o estado do Rio Grande do Norte, com 84 parques em andamento. Tais valores devem crescer a partir dos novos leilões de energia eólica, nos quais a Bahia tem captado grande parte dos recursos...

Senador Fernando Bezerra Coelho defende mais investimentos em energia eólica e solar

Ampliar a capacidade do Brasil em produzir energia de fontes renováveis alternativas à água, especialmente solar e eólica. Esta foi a meta defendida quinta-feira pelo senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), no painel  "A Política Pública de Energia: Avanços, Gargalos e Desafios para o Futuro", na Empresa de Pesquisas Energéticas, no Rio de Janeiro.

 "A expansão deste setor está diretamente relacionada a políticas públicas eficientes e transparentes. Só assim será possível evitar que o consumidor não seja submetido à falta de energia ou a racionamentos, que acarretam a restrição do consumo, o aumento dos custos, a perda de competitividade e o desemprego no país", afirmou o pernambucano, que preside a Comissão Mista de Mudanças Climáticas. O senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) também participou do debate, ao lado de especialistas do setor, como Maurício Tolmasquim, da Empresa de Pesquisa Energética (EPE); Mozart Siqueira, da Brennand Energia; Nivalde Castro, da UFRJ; e Joísa Dutra, da Fundação Getúlio Vargas (FGV)...

Alunos de escola pública em Petrolina desenvolve projeto "A cidade de energia eólica"

Uma maquete, que simula uma cidade e o funcionamento de um gerador de energia eólica, foi projetada por cinco alunos da Escola Municipal João Rodrigues de Macedo, no povoado de Cristália, interior de Petrolina.  O projeto contou com a orientação de um professor de Ciências e objetiva mostrar alternativas limpas para a geração de energia.

Montada pelos educandos Caio Amorim, Byanka Lima, Luandson Ribeiro, Wesley Wanderson e Natanael Brito, a iniciativa partiu da necessidade que os alunos identificaram no município de promover a utilização de energias alternativas, em uma região (semiárido nordestino) com rica oferta de energia solar e eólica...

Adolfo Viana apresenta projeto exigindo a retomada das obras do Parque Eólico de Casa Nova

O deputado estadual Adolfo Viana (PSDB) apresentou Projeto de Indicação (PI) exigindo a retomada das obras do parque eólico no município de Casa Nova. Trata-se de um empreendimento que promete tornar a região do Vale do São Francisco um dos pólos de produção de energia no Brasil, com capacidade de produzir 234 mega watts (MW) por mês. O que daria um respiro aos rios que precisam regular barragens hidrelétricas, como o São Francisco.

Estudos apontam que os reservatórios das hidrelétricas do Rio São Francisco se tornaram inviáveis e que outros investimentos são extremamente necessários. As obras de implantação de energia eólica, iniciadas em 2011, com investimentos orçados em R$ 930 milhões estão paradas e sem previsão de conclusão...

Nova fábrica amplia cadeia produtiva de energia eólica na Bahia

Com a inauguração da fábrica da Torres Eólicas do Nordeste (TEN), nesta sexta-feira (30) em Jacobina, no centro-norte do estado, a Bahia consolida a posição de mercado gerador e produtor de equipamentos para parques de energia eólica. Inaugurada com a presença do governador Rui Costa, a unidade tem capacidade para produzir, por ano, 200 torres de aço destinadas a aerogeradores, gerando 850 empregos diretos e indiretos. No total, sete fábricas de componentes para o setor já operam no estado. “É um investimento muito importante para Jacobina e para a Bahia. Deus nos presenteou com ventos de melhores perfis e volume do país e isso propicia que o estado receba muitos projetos no setor de energia eólica, a exemplo de fábricas como essa”, disse Rui Costa. A planta da TEN fica na Serra do Tombador, próximo aos parques eólicos instalados na região. Foram investidos 30 milhões de euros por meio de uma joint venture entre o grupo francês Alstom e a construtora Andrade Gutierrez.

Pacto pela educação

Durante a solenidade de inauguração da planta, Rui Costa anunciou que fará parcerias com a TEN destinada a projetos para investimentos no pacto pela educação com o propósito de melhorar o ensino em escolas e cursos profissionalizantes da rede estadual, formando mão de obra para a indústria. “Vamos estimular as empresas que investem na cadeia da energia eólica para entrar no pacto pela educação, adotando escolas, no que fomos atendidos prontamente pela TEN para melhorar a qualidade do ensino na região, direcionando cursos técnicos profissionalizantes da rede estadual par fornecer mão de obra qualificada para essa indústria, inclusive garantindo o primeiro estágio dos estudantes”, afirmou Rui. Ele disse também que trabalha para tornar mais rápidos os licenciamentos de projetos eólicos. “Vamos conversar com o governo federal para priorizar os novos leilões de linhas de alta tensão aqui no estado para garantir as linhas necessárias para a transmissão da energia gerada nas torres”, explicou

Investimentos

Além da Alstom, que possui uma fábrica de aerogeradores em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), estão em operação na Bahia as espanholas Gamesa (caixa de rotor) e Acciona (cubos eólicos), indústrias brasileiras Tecsis (pás e aerogeradores) e Torrebras, que recentemente anunciou a ampliação de 200 para 300 torres eólicas/ano na unidade baiana, representando R$ 47,5 milhões e 125 novos empregos. A Bahia é o único estado brasileiro a ter mais de quatro GW contratados distribuídos em 165 empreendimentos. A expectativa para 2015 é que o estado supere a marca de um GW em operação. O vento será a maior fonte de eletricidade da matriz energética baiana até o ano de 2020, caso os projetos de energia eólica contratados este ano se equipararem aos de hidrelétricas em funcionamento.

Com investimentos de R$ 3,4 bilhões, a Bahia concentra a maior parte dos parques de energia eólica e solar a serem instalados no país, a partir deste ano, com previsão de entrar em operação em 2017. O estado foi o principal destaque do penúltimo leilão de energia, realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), no final de outubro de 2014. Dos 62 projetos vencedores, 30 serão instalados em solo baiano (14 solares e 16 eólicos). Juntos, eles serão responsáveis pela geração de 773,1 MW. ..

MEGA FÁBRICA DE TORRES/AEROGERADORES PARA ENERGIA EÓLICA EM JUAZEIRO!

Obras da construção de uma mega fábrica de torres/aerogeradores para energia eólica estão em ritmo acelerado no distrito industrial do São Francisco em Juazeiro. Muitos operários e máquinas pesadas estão no canteiro de obras.

Maurício Dias (Mauriçola)..

Bahia lidera na contratação de projetos de energia eólica no Leilão A-5

Na última sexta-feira (28), foi realizado o Leilão A-5, que contratou 925,95 MW de energia eólica, volume importante, pois garantiu que a eólica superasse os 2 GW contratados em 2014. A Bahia novamente foi o estado que mais teve projetos contratados e também na maior capacidade instalada a ser desenvolvida. Ao final, foram 17 empreendimentos contratados do total de 36 (47% dos projetos) e cerca de 446,5 MW em capacidade instalada (48% do volume contratado).

“A expectativa do leilão era que trouxesse surpresas, pois a aposta nas termelétricas era muito intensa, como o resultado demonstrou. No certame foram vendidos projetos de pequenas centrais hidrelétricas [PCH], biomassa, gás natural, carvão mineral e usinas eólicas”, afirma o superintendente de Indústria e Mineração, Rafael Valverde, da Secretaria da Indústria, Comércio e Mineração. No somatório geral, o leilão contratou quase 5 GW em capacidade instalada, sendo 4 GW de termelétricos. Os projetos baseados em gás foram o destaque, com três empreendimentos e 3 GW contratados.

Além da Bahia, apenas o Piauí (225 MW), Rio Grande do Norte (164,4 MW) e a Paraíba (90 MW) venderam parques no leilão. Na Bahia, quatro empresas serão responsáveis pela implantação dos empreendimentos - CEA (50 MW), Enel (112 MW), Renova (108 MW) e Tractebel (176,55 MW), que pela primeira vez comercializa projetos baianos no leilão. “O destaque também é a região de Umburanas, que pode se consolidar como a próxima região da exploração eólica. Lá está situada parte dos projetos comercializados pela Renova e Tractebel. Além deles, temos Campo Formoso, Sento Sé, Gentio do Ouro e Xique Xique”, diz Valverde.

Este foi o último leilão do ano, o próximo está previsto para 27 de abril. A Bahia lidera a corrida da energia eólica na era dos leilões, sendo o único estado a ter mais de 4 GW contratados, distribuídos em 165 empreendimentos. A expectativa para o próximo ano é que a Bahia supere a marca de 1 GW em operação. Se em 2015 os projetos de energia eólica contratados se equipararem aos de hidrelétricas em funcionamento, os ventos se tornarão a maior fonte de eletricidade da matriz até o ano de 2020. ..

Governador da Bahia abre maior evento de energia eólica da América Latina

"A mais nova indústria, a indústria do vento, tem a cara da Bahia, para onde estão sendo destinados hoje os maiores investimentos do setor no país", disse o governador Jaques Wagner ao abrir, na noite desta terça-feira (26), o Brazil Windpower, a 5ª Conferência e Feira de Negócios de Energia Eólica no Brasil e América Latina. O evento, considerado o mais importante e a melhor oportunidade do mercado eólico brasileiro, acontece de 26 a 28 de agosto, no Centro de Convenções Sulamerica, no Rio de Janeiro.

A Energia Eólica é hoje a fonte de geração de energia elétrica que mais cresce no Brasil. A Bahia representa 10,1% do potencial eólico do país e 19,3% do Nordeste, com destaque para as regiões Centro-sul e Vale do São Francisco. A Bahia conta atualmente com 132 projetos de usinas eólicas, perfazendo um total de 3,2 gigawatts de capacidade instalada. O estado é o único a ter comercializado energia em todos os leilões com contratações realizadas para a fonte eólica, com investimentos de R$ 12 bilhões. ..

Na Espanha, Pinheiro busca parcerias e investimentos para a Bahia nas áreas náutica e da energia eólica

Nesta sexta-feira (28), o senador Walter Pinheiro (PT-BA) conheceu as instalações do Porto de Barcelona, na Espanha, e sua área náutica, na expectativa de atrair investimentos e parcerias  para o promissor segmento do turismo náutico na Bahia. Segundo o senador, a atividade em expansão deve conquistar ainda mais espaço entre os roteiros da próxima década e para isso parcerias e investimentos são necessários. “Conversei com prefeito e vice-prefeito de Barcelona, quando foram pautado alguns temas e desdobramentos buscando parcerias para o Estado da Bahia. Ficou acertada uma agenda, no mês de abril, com intuito de concluir parcerias, como na questão dos portos, usando a boa experiência do Porto de Barcelona e, na área náutica, principalmente, no que diz respeito aos espaços e infraestrutura das marinas”, destacou Pinheiro.

Complexos de turismo e lazer - De olho na demanda, aqui no Brasil, o Ministério do Turismo já investiu R$ 570 milhões na estruturação e requalificação de atrativos e complexos de turismo e lazer que dão vida às orlas marítimas, fluviais e lacustres do País. Entre os projetos contemplados, estão a revitalização da orla da Praia do Forte (BA). No final do ano passado, foi aprovada pelo plenário do Senado autorização para contratação de operação de crédito externo entre o Estado da Bahia e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de até US$ 50.822.905,00 para o financiamento parcial do Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo na Bahia (Prodetur Nacional – Bahia). A aprovação foi possível devido ao requerimento de urgência que o senador Pinheiro  encaminhou à Presidência da Casa...

Bahia vende mais de 40% de toda energia eólica do país em leilão A-5

O Governo da Bahia comemora o resultado do leilão de energia do tipo A-5, realizado, sexta-feira (13), pelo Ministério de Minas e Energia. Pela primeira vez, um estado vende um total de 1000,8 MW (1GW), que representa 42% do total negociado (2.337MW), num só leilão. Entre os 97 projetos contratados pelo governo federal, 41 projetos foram na Bahia. “Este leilão foi um sucesso para a Bahia. É um resultado vitorioso e histórico. O volume de projetos contratados nos coloca num patamar de liderança no setor. Certamente, seremos o maior estado eólico do Brasil”, afirmou o secretário da Casa Civil, Rui Costa ao explicar que a contratação de hoje resultará em, pelo menos, R$3 bilhões de reais em novos investimentos para o estado.

Dentre os vencedores do certame, destacam-se a Renova, a Casa dos Ventos, a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (CHESF), Companhia de Energias Renováveis (CER) e Sequoia. No histórico dos leilões, a Bahia se aproximou, definitivamente, do Rio Grande do Norte. A diferença entre esses estados, que era de quase 1 GW ao final de 2012, encerra 2013 com pouco mais de 50 MW. Agora, a Bahia conta com um montante de algo em torno de 3.000 MW contratados em leilões. A Bahia é, também, o único estado a ter projetos comercializados em todos os leilões realizados pelo ministério. ..

Tucano e região terá exploração de energia eólica

A Bahia já se consolidou como o maior parque eólico do país, com potencial de geração de 29 mil megawatts, o que tem atraído investimentos de diversas empresas estrangeiras. O primeiro parque eólico no estado foi construído no município de Brotas de Macaúbas, na Chapada Diamantina, e logo em seguida as cidades de Caetité e Sento Sé iniciaram a atividade.

Nesta terça-feira (18), a empresa Sowitec do Brasil Energias Alternativas fará uma apresentação pública na Câmara de Vereadores de Araci sobre o Projeto Parque Eólico Tucano, que vai abranger, além do município que dá nome ao projeto, as cidades de Araci, Nova Soure, Biritinga, Sátiro Dias e Teofilândia...

Bahia terá novo mapa para exploração de energia eólica

Por ser renovável e de grande valor econômico e ecológico, a energia eólica é prioridade do governo da Bahia, que tem atraído indústrias para explorar o setor. Um novo passo nesse sentido foi dado com um estudo, encomendado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), para monitorar em tempo real os dados eólicos da Bahia em diversas localidades em alturas de 150 metros.

Após o trabalho, previsto para durar 11 meses, será criada uma plataforma web em tempo real com o potencial eólico baiano, identificando novas fronteiras do setor ainda não exploradas. Nos últimos anos, a Bahia tem se consolidado como um dos principais polos do país em geração de energia eólica, atraindo indústrias do setor, como a Alstom e a Gamesa. O estado não possui um atlas eólico em medições entre 100 e 150 metros de altura, sendo esta altura o novo patamar de desenvolvimento e produção de equipamentos de maior potência de geração dos fabricantes mundiais...

Energia Eólica “o pré-sal de Sobradinho”

 

O resultado dos leilões de energia realiados entre 2008 e 2010 começam a tornar-se realidade no árido sertão da Bahia, no município de Sobradinho,  com a chegada de duas dezenas de carretas com as unidades de geração de energia na última semana de janeiro. São as longas pás das hélices, os imensos módulos para a montagem das torres e os geradores que irão receber, armazenar e distribuir a energia gerada.

Enquanto 20 enormes caçambas, tratores e compactadores terminam a íngreme estrada que leva ao alto da serra, dezenas de operários finalizam acampamentos, instalam tubos e finalizam a concretagem das bases que receberão as primeiras dezesseis torres para geração de energia. O prazo para a produção de energia não deve ultrapassar maio desde ano de 2012. Quem comemora a rapidez das obras é o prefeito Genilson Silva (PT): “Houve quem não acreditasse, houve quem tentasse atrasar as obras em nosso município, tentando privilegiar outros parques de geração de energia em outras cidades, mas é de Sobradinho que irá sair o primeiro quilowatt de energia eólica produzida no sertão da Bahia”...

Bahia ganha mais uma fábrica de aerogeradores para energia eólica

Campeã do Nordeste em atração de grandes investimentos estrangeiros, a Bahia ganha nesta quarta-feira (30) mais um importante empreendimento industrial, com a inauguração, em Camaçari, município da Região Metropolitana de Salvador, de uma unidade da Alstom, fabricante francesa de aerogeradores para produção de energia eólica no Estado. A empresa investiu de R$ 50 milhões e vai gerar 150 empregos diretos e 500 indiretos.

Este é um dos assuntos em destaque do programa de rádio Conversa com o Governador desta terça-feira (29), quando Jaques Wagner ressalta o bom momento da economia baiana e brasileira e fala também do lançamento, na semana passada, da pedra fundamental do Complexo Acrílico da Basf, em Camaçari, e da segunda etapa do Programa Minha Casa, Minha Vida, que tem a expectativa de construir na Bahia mais 160 mil unidades habitacionais até 2014...

AUDIÊNCIA PÚBLICA NA CÂMARA DE VEREADORES DE SENTO-SÉ DISCUTE INSTALAÇÃO DE CENTRAIS GERADORAS DE ENERGIA EÓLICA

Serão instaladas na localidade de São Pedro do Lago, no município de Sento Sé, três centrais geradoras de energia elétrica eólica – Pedra Branca, São Pedro do Lago e Sete Gameleiras – que estarão interligadas à Subestação da CHESF em Sobradinho.

Os Parques Eólicos têm o início de seu funcionamento previsto para janeiro de 2013. Visando que todos da comunidade de Sento Sé e municípios vizinhos conheçam os empreendimentos que promoverão o desenvolvimento da região, o Comitê Gestor dos referidos parques eólicos está convidando a sociedade civil organizada para participar da reunião pública de apresentação dos empreendimentos, nesta quinta-feira, dia 16 de junho, às 14 horas, na Câmara de Vereadores de Sento Sé...

BAHIA INVESTIRÁ R$ 6 BI EM ENERGIA EÓLICA

O vice-governador e secretário estadual de Infraestrutura, Otto Alencar, anunciou nesta terça-feira (14) que a Bahia investirá R$ 6 bilhões na geração de energia eólica até 2013. Os recursos serão utilizados na criação de “Fazendas de Vento”, que impulsionarão a economia no estado, principalmente no semiárido. Investidores e proprietários de terras com capacidade de implantação de usinas de energia eólica negociarão o pagamento de uma espécie de royalties, no valor de R$5 mil por ano. A primeira unidade, ainda em fase de implantação, está localizada em Brotas de Macaúbas. A previsão é que ela entre em funcionamento no mês de setembro, com capacidade de geração de 90 megawatts por mês. Informações do jornal Tribuna da Bahia.

..

Bahia entra no mapa da energia eólica com parques em Casa Nova, Juazeiro, Sobradinho, Morro do Chapéu, Igaporã, Guanambi e Pindaí.

Com um política de incentivo forte para atrair os investidores e a força dos ventos locais, a Bahia entrou de vez no mapa brasileiro de energia eólica. Nos leilões de fontes alternativas e de reserva que o governo fez no final de agosto, o estado ganhou mais uma posição do ranking, com os 587,4 MW de potência instalada, ficando atrás apenas do Rio Grande do Norte, com 1.064,6 MW. O Ceará, pioneiro neste tipo de alternativa no país, registrou 150 MW.

Investidores como Brennand Energia, Chesf, Iberdrola, Renova Energia, Consórcio Pedra do Reino e SoWiTec do Brasil estão na lista dos vencedores, com projetos de parques eólicos para os municípios de Casa Nova, Juazeiro, Sobradinho, Morro do Chapéu, Igaporã, Guanambi e Pindaí. A previsão é que os projetos entrem em operação a partir de 2013. “Isso é o começo de uma revolução na nossa matriz energética”, avalia Rafael Valverde, professor de Fontes Renováveis de Energia da Unifacs e assessor especial da Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração (Sicm).

“Nota-se um interesse cada vez maior dos empreendedores pela exploração da energia eólica. E, desta vez, a Bahia conquistou um resultado incontestável no cenário nacional, confirmando a tendência já percebida no último leilão para o setor, realizado em 2009, quando o nosso Estado causou surpresa ficando na terceira posição em capacidade instalada em energia eólica”, destaca Valverde...

Khoury debate vantagens da energia eólica na Comissão de Meio Ambiente

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados realizou terça-feira (18) audiência pública para debater o resultado do primeiro leilão de energia eólica ( produção de energia através dos ventos) no Brasil, realizado em 14 de dezembro do ano passado pelo governo federal. O deputado federal Jorge Khoury, presidente da Comissão de Meio Ambiente considera importante avaliar as vantagens econômicas, e principalmente ambientais, desse tipo de  investimento. “O debate, proposto pelo deputado Fernando Marroni (PT-RS) é interessante porque exige uma discussão mais detalhada do assunto”, disse Khoury.

O leilão resultou na contratação de 1.805,7 MW a um preço médio de venda de R$ 148,39/MWh. Com o leilão, será viabilizada a construção de um total de 71 empreendimentos de geração eólica em cinco estados das regiões Sul e Nordeste, sendo 18 no estado da Bahia. Segundo Khoury, especialistas confirmam que  o estado da Bahia tem potencial de gerar 14 GW de energia elétrica por ano, através de aerogeradores, utilizando torres de 75 metros de altura, o que significa dizer que esse potencial pode ser ampliado se forem utilizadas torres mais altas. 

A energia eólica é a mais barata forma de energia complementar renovável e a região nordeste tem o maior potencial do país para produção deste tipo de energia. O montante financeiro em decorrência do leilão alcançará R$ 19,59 bilhões ao final do período de vigência dos contratos, que é de 20 anos...