RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 1842 registros para a palavra: bolsonaro

Eleições 2018: Datafolha mantém 18 pontos de diferença entre Bolsonaro e Haddad

Pesquisa divulgada agora a pouco pelo Datafolha apontou os mais recentes números na corrida presidencial para 2018. De acordo com o instituto, Jair Bolsonaro (PSL) tem 59% das intenções nos votos válidos, quando não são computados os brancos, nulos e indecisos, contra 41% de Fernando Haddad (PT). Em relação à pesquisa anterior Bolsonaro cresceu um ponto percentual e Haddad caiu um ponto.

Nos votos totais, quando computados votos Brancos, nulos e indecisos, Bolsonaro lidera com 50% das intenções; Haddad tem 35%; brancos/nulos/nenhum 10% e não sabe 5%. No quesito rejeição, Bolsonaro tem 41% e Haddad 54%. O nível de confiança da pesquisa é de 95% e a margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa, contratada pela TV Globo e Folha de São Paulo, tem registro no TSE: BR-07528/2018. O Datafolha ouviu 9.137 eleitores entre os dias 17 e 18 outubro,  em 341 municípios...

Pichação ameaça massacre armado na UnB 'se o Bolsonaro for eleito'

Estudantes da Universidade de Brasília encontraram uma pichação que ameaça um massacre armado na instituição "se o Bolsonaro for eleito". A frase foi escrita na porta de um banheiro e faz referência a escola Columbine, de Colorado, nos Estados Unidos. Em 1999, dois adolescentes armados invadiram o local e atiraram contra alunos, professores e funcionários, assassinando 13 pessoas e ferindo 21.

A foto da pichação foi divulgada por um aluno em suas redes sociais, no último dia 11. Ele se disse assustado e com medo do que leu. A postagem chegou ao conhecimento da UnB, que respondeu através do Twitter que "repudia atos de vandalismo como esse, especialmente pelo seu conteúdo ameaçador à comunidade universitária"...

Bolsonaro diz não ter controle sobre ação de empresas no WhatsApp

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, se eximiu de responsabilidade sobre a prática de compra de pacotes de mensagens contra o adversário dele na disputa, Fernando Haddad (PT). De acordo com Bolsonaro, as pessoas envolvidas na denúncia podem, inclusive, serem de esquerda e para prejudicar sua campanha e “complicar sua vida”. 

“Eu não tenho controle se tem empresário simpático a mim fazendo isso. Eu sei que fere a legislação. Mas eu não tenho controle, não tenho como saber e tomar providência”, disse ao site Antagonista...

PT e PDT falam em recorrer à Justiça para tirar Bolsonaro das eleições

As revelações de que empresas bancaram a disseminação de mensagens contra o PT nas redes sociais fazem com que PT e PDT cogitem tentar retirar Jair Bolsonaro (PSL) da corrida presidencial. Reportagem da Folha de S.Paulo publicada nesta quinta-feira (18/10) afirma que empresas bancaram, com contratos de R$ 12 milhões, serviços de disparos de mensagens no WhatsApp contra o PT e a favor de Bolsonaro, o que contraria a legislação eleitoral brasileira.

Em entrevista coletiva à imprensa, o candidato petista, Fernando Haddad, disse que vai acionar todos os mecanismos judiciais para que a campanha de Bolsonaro e os empresários supostamente envolvidos sejam punidos. O ex-prefeito de São Paulo citou ainda a possibilidade de que a candidatura do adversário seja impugnada, e o terceiro colocado no primeiro turno seja chamado para disputar a segunda etapa da disputa...

Eleições 2018: 2º turno em Juazeiro. Haddad aumenta a diferença ou Bolsonaro cresce? Alguém arrisca um palpite?

Os numeros relativos ao primeiro turno das eleições 2018 continuam disponíveis no Blog Geraldo José

O dia “D” da eleição no segundo turno vai se aproximando e em Juazeiro, como em todo o País, as atenções se voltam para a decisão presidencial, com Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando haddad (PT) disputando os votos dos brasileiros. No primeiro turno, em Juazeiro, Haddad teve 57,39% dos votos, contra 27,53% de Bolsonaro. Os demais candidatos, somados, não chegaram a 15% dos votos dos juazeirenses.

Neste segundo turno, em Juazeiro, alguém apostaria num crescimento ainda maior de Haddad? Bolsonaro cresce porque essa é uma tendência nacional, como apontam as pesquisas? Os eleitores de Ciro, do PDT, mesmo partido do deputado Roberto Carlos migram majoritariamente para Haddad? Estas são perguntas que só as urnas poderão revelar.

No primeiro turno Haddad foi majoritário, com pouco mais de 60 mil votos, seguido por Bolsonaro com 30 mil; Ciro Gomes teve pouco mais de 10 mil votos e os demais, somados, alcançaram aproximadamente 6 mil votos. Brancos e nulos giraram em torno de 8% e a abstenção ficou na casa dos 13%. Há quem aposte que o percentual de nulos, brancos e abstenções aumentem, pela ausencia de interesses locais na disputa, mas tem quem pense o contrário em virtude do acirramento da disputa nacional. ..

Eleitores de Juazeiro e Petrolina realizam atos de apoio aos candidatos Bolsonaro e Haddad

Membros do Movimento Brasil Livre vão realizar no próximo sábado (20), a partir das 16h, um ato público em apoio ao candidato a presidente da República Jair Bolsonaro (PSL). O evento, ‘Jornada Patriótica’, terá uma carreata em Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), com a concentração em Juazeiro no Vaporzinho (Orla II). 

Já em Petrolina, nesta quinta feira (18), acontece a Plenária Educação com Haddad, no auditório Fundação Nilo Coelho, a partir das 16hs.  No sábado 20, está programado um ato político e cultural, O semiárido pela democracias, ás 14hs, na Praça da Catedral...

Eleições 2018: 2º turno na Bahia. Haddad aumenta a diferença ou Bolsonaro cresce? Alguém arrisca um palpite?

Todos os números relativos ao primeiro turno continuam disponíveis no Blog Geraldo José

O dia “D” da eleição no segundo turno vai se aproximando e na Bahia, onde todos os cargos majoritários e proporcionais já foram decididos, as atenções se voltam exclusivamente para a decisão presidencial, com Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando haddad (PT) disputando os votos dos baianos. No primeiro turno o petista teve 60,28% dos votos, contra apenas 23% do candidato do PSL.

No segundo turno, na Bahia, é possível que os números mudem radicalmente, uma vez que votos creditados aos demais candidatos na disputa vão migrar para os dois candidatos que avançaram na disputa. Há dúvida é: Os votos do candidato Ciro Gomes, que declarou apoio crítico ao PT, aumentam o percentual de Haddad no estado? O PSDB de Alkmin na Bahia acrescenta alguma soma nos votos de Bolsonaro? O percentual de evangélicos que votaram em Cabo Daciolo e Marina Silva, na sua maioria, migram em que direção? Estas são perguntas que só as urnas poderão revelar.

No primeiro turno Haddad, com apoio do Governador Rui Costa, eleito, foi majoritário, com quase 4,5 milhões de votos no estado, enquanto Bolsonaro ficou na casa dos 1,7 milhões. Ciro chegou próximo dos 700 mil votos, seguido por Alkmin, com aproximadamente 173 mil; Daciolo com 138 mil; Marina com 61 mil e Amoedo com 43 mil votos aproximadamente...

TSE convoca representantes de Bolsonaro e Haddad e pede clima de paz

A ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, se reuniu ontem (17) com representantes das candidaturas de Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) para discutir a difusão massiva de notícias falsas e a onda de violência durante as eleições. O tribunal vem colocando preocupações com a disseminação de conteúdos colocando em dúvida o sistema de votação e apuração nestas eleições. Participaram do encontro também os ministros Luís Roberto Barroso e Edson Fachin.

Segundo representantes das candidaturas, que falaram a jornalistas ao fim do encontro, os ministros do TSE mostraram preocupação com os conteúdos enganosos e casos de agressão. Rosa Weber teria feito um apelo para que a campanha ocorra em clima de paz e para que os candidatos incentivem apoiadores a fazer uma campanha pacífica...

Cid Gomes, irmão de Ciro, faz críticas ao PT durante ato de apoio a Haddad. Veja o vídeo

O senador eleito pelo Ceará, Cid Gomes, (PDT), ex-governador e irmão de Ciro Gomes deixou militantes petistas num encontro de reforço à candidatura de Haddad numa verdadeira saia justa ao dizer em discurso que o PT deveria fazer um “mea culpa".

Durante o discurso, que recebeu aplausos e vaias, Cid Gomes que foi o PT que criou Jair Bolsonaro, candidato do PSL que segue à frente nas pesquisas...

Guilherme de Pádua, assassino de Daniella Perez, sai em defesa de Bolsonaro

O ex-ator Guilherme de Pádua Thomaz, condenado a 19 anos e seis meses pelo assassinato da atriz Daniela Perez, filha da autora de novelas Glória Perez, usou as redes sociais para defender o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL). Hoje pastor, Pádua postou um vídeo na quinta-feira (11/10) que avabou ganhando repercussão a partir do domingo(14/).

"Eu vi pessoas formadas, até com mestrado, sabe, pessoas assim que poderiam ter doutorado, acreditando que o Bolsonaro vai perseguir os negros e os gays como Hitler perseguiu os judeus. É impressionante como os radicais conseguem colocar loucuras na cabeça das pessoas", diz Pádua no vídeo, que dura cerca de 1 minuto...

Eleições 2018: Ibope aponta Bolsonaro com 18% à frente de Haddad, neste segundo turno

A primeira pesquisa do Ibope para este segundo turno, divulgada nesta segunda-feira (15), manteve Bolsonaro na frente com diferença de 18% das intenções de voto. De acordo com o instituto, se a eleição fosse hoje o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, teria 59% dos votos válidos, contra 41% de Fernando Haddad, do PT.

O levantamento foi feito no sábado (13) e domingo (14) com 2.506 entrevistados, em 176 municípios e o nível de confiança é de 95%. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Para o cálculo dos votos válidos são desconsiderados os votos brancos, nulos e os indecisos. A pesquisa foi registrada no TSE sob o Número BR-01112/2018...

Haddad volta a questionar difusão de fake news pela campanha de Bolsonaro

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, voltou a questionar neste domingo (14) a difusão de notícias falsas pela campanha de seu adversário Jair Bolsonaro (PSL), que chamou de caluniosa. Ele fez ainda um apelo "para eles pararem com isso".

"Aí eles dizem: 'mas eu não posso me responsabilizar'. Mas quem está pagando por tudo isso? Será que custa barato fazer essa campanha por WhatsApp?"

Após um "encontro com pessoas com deficiência pela democracia", Haddad listou mentiras das quais seria vítima. Ele questionou o comportamento de Carlos Eduardo, que reproduziu nas redes sociais uma notícia falsa de que o petista defendera o incesto.

A publicação, um tuíte com um texto do escritor Olavo de Carvalho, dizia que o candidato pregava a derrubada do tabu do incesto. O autor retirou o texto das redes sociais, explicando-se depois. Mas Carlos Bolsonaro a manteve com a pergunta "é isso que você quer ver governando o país?"

"Qual o limite da loucura do meu adversário? Acusar um oponente de defender o incesto. Onde nós vamos parar?", questionou Haddad.

Ele também reagiu a acusação feita pela campanha de Bolsonaro de que, se eleito, o petista transformará o Brasil na vizinha Venezuela.

Em resposta, Haddad disse que essa é uma tentativa do adversário de desviar atenção sobre seu próprio passado.

"Isso é jogo de cena para desviar a atenção sobre o passado dele, que elogia torturador, que diz para uma colega de parlamento que não a estupra porque ela não merece, que fala mal do cardeal dom Paulo Evaristo Arns, chamando ele de picareta e vagabundo", afirmou.

Segundo Haddad, essa é uma estratégia "para mudar de assunto, desviar atenção".

"Quem tem que responder sobre seu passado é ele, que defendeu a tortura, que defendeu o extermínio de 30 mil pessoas", acrescentou o ex-prefeito.

"Qual é o exemplo que ele está dando? Só fala em morte", perguntou Haddad.

Em resposta ao adversário, Haddad disse também que o PT nunca violou um princípio democrático nos anos que governou o país e sempre fortaleceu as instituições democráticas.

"Nunca, nunca, nunca uma instituição foi enfraquecida, pelo contrário. Todas foram fortalecidas. O Estado democrático de direito é um princípio e segue sendo um princípio basilar da nossa conduta".

Ele disse também que Bolsonaro não o enfrenta em debate porque seria confrontado sobre a origem de mentiras difundidas nas redes sociais.

"E tem uma razão para ele não participar de debates. Ele não vai poder dizer isso na minha cara, né? Não vai poder afirmar nada do que ele afirma pela internet frente a frente, não vai conseguir sustentar". 

O petista também disse ainda que vê com preocupação o que chama de projeto de poder de líderes igreja Universal do Reino de Deus, citando ainda o fato de Bolsonaro ter chamado dom Paulo Evaristo Arns de vagabundo e picareta.

"Onde é que esta loucura vai parar? Hoje, uma igreja católica amanheceu pichada com uma suástica. Eu fui perseguido por um carro por um bolsonarista chamando a igreja católica de igreja gay".

Haddad cobrou ainda a imprensa pelo que chamou de omissão. "Vocês não vão acordar para o risco que nós estamos correndo? Quando é que a imprensa vai acordar? A ombudsman da Folha está fazendo justamente isso".

Segundo Haddad, "se a imprensa não ajudar, não vai acabar bem". "A democracia está em risco, acordem", apelou...

Bolsonaro diz que seu plano de privatizações agrada ao mercado

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, disse hoje (13) que o plano de privatizações previsto por sua campanha, caso seja eleito, será de inteiro agrado do mercado e que, em princípio, as primeiras estatais que serão alvo de análise para privatização serão as criadas pelos governos do Partido dos Trabalhadores. Segundo ele, as privatizações serão realizadas com responsabilidade.

“Em um primeiro momento, aquelas quase 50 estatais criadas pelo PT e ainda sobram 100. Essas outras têm que ter um modelo para privatizar com responsabilidade, logicamente que as estratégicas não privatizaremos, como Banco do Brasil, Caixa Econômica e Furnas, entre outras. Mas, como um todo, tenho certeza que o mercado vai gostar do nosso plano de privatização porque é uma maneira a mais de combater a corrupção e o Estado tem que estar com aquilo que é essencial nas suas mãos, que são as estratégicas”, avaliou...

Bolsonaro e Haddad na guerra do marketing eleitoral

Caminhando rumo aos centristas e querendo disputar território eleitoral com o presidenciável e primeiro colocado no primeiro turno,Jair Bolsonaro (PSL), Fernando Haddad (PT), colocam no ar suas peças publicitárias no decorrer da campanha de segundo turno. A propaganda no rádio e Tv iniciou ontem para mostrar as propostas dos candidatos ao eleitor.

Haddad quer conquistar votos dos não-petistas e ainda os eleitores que não exerceram seu direito de voto (abstenção), com 29.941.265 (20,33%) não-votantes – o maior percentual desde 1998, quando a abstenção chegou a 21,5%, segundo números do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Ainda segundo o TSE, 107.050.673 (91,21%) foram válidos. Votos nulos somaram 7.206.205 (6,14%) e brancos 3.106.936 (2,65%). Sendo estes últimos, alvos de disputa entre Haddad e Bolsonaro.

Além de querer arregimentar novos eleitores, Fernando Haddad critica a política de liberalização de armas para população, além de insistir na tese de extinção do 13º salário negada pelo adversário, Jair Bolsonaro. No vale tudo eleitoral há quem aposte na tese de que "segundo turno é uma nova eleição", pelo menos na estratégia de marketing...

Chico César faz homenagem a Moa do Katendê, capoeirista morto após dizer que era contra Bolsonaro

O cantor e compositor paraibano Chico César usou as redes sociais para fazer uma homenagem ao mestre de capoeira Moa do Katendê, de 63 anos. O mestre foi morto em Salvador, na segunda-feira (8), depois de dizer a um eleitor que era contra o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL).

Em vídeo, Chico César cantou versos que escreveu em homenagem a Moa do Katendê: “Quando morre um capoeira / Morto assim à traição / Fica íngreme a ladeira / E mais pesado o caixão / Mesmo que a gente não queira / Trinca o dente e o coração / Moa nem de brincadeira / Vamos te esquecer irmão”...

Mais de 4 mil organizações emitem nota de repúdio a declaração de Bolsonaro

Mais de 4 mil organizações da sociedade civil e movimentos sociais, como Conectas, Greenpeace, Intervozes e Instituto Alana, divulgam nesta segunda-feira (15) uma nota de repúdio a declaração do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) sobre acabar com o ativismo no país. 

A notícia foi antecipada pela Folha de S.Paulo. "Vamos botar um ponto final em todos os ativismos do Brasil", declarou no discurso feito logo após a divulgação do resultado da votação no primeiro turno, em que obteve 46,03% dos votos...

Eleitores de Juazeiro e Petrolina promovem atos de apoio a Bolsonaro (PSL) E Haddad (PT)

Em Juazeiro e Petrolina, eleitores de Bolsonaro e Haddad intensificam os movimentos em busca de apoio e votos. O segundo turno acontecerá no dia 28 de outubro.

Em Petrolina um ato reuniu professores, eleitores, movimentos sociais em apoio a Haddad (PT). Houve distribuição de panfletos, adesivos e pintura de camisas. O ato foi realizado na manhã e tarde do dia 12, Dia de Nossa Senhora Aparecida, no Parque Josepha Coelho...

No rádio, Bolsonaro associa PT a Venezuela e Haddad critica violência

Os presidenciáveis Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) não pouparam ataques no primeiro programa da campanha eleitoral do segundo turno no rádio nesta sexta-feira (12). Enquanto a estratégia de Bolsonaro foi associar o PT à Venezuela, a campanha do petista trouxe relatos sobre a violência praticada pelos seguidores de seu opositor e não cita Lula.

O programa de Bolsonaro começa em 1990, citando a queda do comunismo e narrando a criação do Foro de São Paulo, chamado de "semente de projeto de doutrinação", com a participação de Lula, que discursa defendendo que integrantes do grupo cheguem ao poder. Na sequência, o locutor cita Cuba, classificando o país como "o mais atrasado do mundo", e a "Venezuela arrasada", associando o país ao Brasil, que se tornou "um balcão de negócios"...

Contra Bolsonaro, deputados tentam articular reeleição de Maia na Câmara

Um grupo de deputados já tenta articular a candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à reeleição na Câmara dos Deputados em 2019. 

De acordo com a coluna de Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, fazem parte parlamentares de esquerda – eles querem evitar que, num eventual governo de Jair Bolsonaro (PSL-RJ), a Casa caia em mãos do grupo do capitão reformado.

A ideia, ainda segundo a coluna, seria juntar partidos como o PDT e o PC do B, além de setores do centrão e do PSDB. E tentar também a adesão do PT, caso a legenda saia derrotada da campanha. ..

El País: Morte, ameaças e intimidação: o discurso de Bolsonaro inflama radicais

O ódio que se encrustou na disputa eleitoral fez ao menos uma morte algumas horas depois de que 147 milhões de brasileiros se dirigiram às urnas. O mestre de capoeira e ativista cultural Romoaldo Rosário da Costa, mais conhecido como Moa do Katendê, de 63 anos, foi assassinado com 12 facadas na madrugada da segunda-feira, em um bar de Salvador.

O autor confesso do crime, Paulo Sérgio Ferreira de Santana, de 36 anos, disse à polícia que o assassinato teve motivação política. De acordo com a declaração que deu às autoridades, Santana, que votou e defendeu o candidato de extrema direita Jair Bolsonaro (PSL), discutia com o dono do local, que votou em Fernando Haddad (PT), quando Moa uniu-se à conversa para também defender o petista. O assassino, então, foi à casa, pegou uma peixeira e voltou ao bar para atacar o capoeirista. A delegada Milena Calmon, responsável pelo caso, descreveu Santana ao EL PAÍS como um homem “intolerante e agressivo”...