RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 396 registros para a palavra: agenor santos

Artigo - Alguém está fingindo de morto

A organização partidária PT, ou Partido dos Trabalhadores, pelo fato de ser uma instituição criada com o objetivo de representar boa parte desse importante segmento dos trabalhadores do País, além de ter conquistado o maior cargo do Poder Executivo da República brasileira por 14 anos, pelo voto popular. Teve a sua oportunidade após diversas tentativas de ascensão ao Poder.

As condições acima e os méritos decorrentes de tudo aquilo de positivo que foi realizado, contudo, foram maculados por graves desvios de conduta dos ocupantes de muitos cargos importantes do governo, como Ministérios, empresas estatais e seus Fundos de Pensão, com um nível de corrupção que superou tudo que se pode imaginar, em todos os tempos...

Artigo – Hora de pensar, repensar e refletir

Quando o Ano Eleitoral chega, cada dia e cada mês que passa significa menos tempo para se arrumar as ideias e convicções, as quais irão inspirar o processo de avaliação pessoal de cada um, quanto aos níveis de programas políticos e administrativos apresentados, e a definição de escolha pelo caráter, dignidade e postura dos pretendentes aos principais cargos nacionais, tanto para o Legislativo como para o Executivo. Nesse contexto, um cargo se destaca: a Presidência da República!

Não é uma missão muito fácil, porque o acerto ou o erro do voto atribuído tem repercussão na vida da população por quatro longos anos, além de implicações positivas ou negativas irreversíveis para o País. A Nação não vive só e isolada do conjunto mundial das Nações ou da integração continental com os Países latinos da América do Sul, onde se encontra. E aí reside a necessidade de eleger um Presidente com legitimidade de Estadista, algo não visto nos últimos tempos...

Artigo – Eleições: Os extremos se encontram

Nada mais óbvio com a chegada de um Novo Ano do que o despertar de novas esperanças no universo dos projetos individuais e coletivos, sempre desejosos de que as realizações se concretizem.

Isso rejuvenesce o ânimo das pessoas e alimenta a alma, produzindo novas energias para vencer os obstáculos naturais e, eventualmente, derrotar as forças negativas e contrárias que se interpõem.

Assim, de modo geral e seguindo os ciclos naturais da vida, a sociedade tem o dever de cumprir as regras institucionalmente criadas para regular a estrutura social. Um dos importantes deveres criados pelo Sistema, é votar nas eleições bianuais que elegem Prefeitos e Vices, e Vereadores (ocorreu em 2020) e Presidente da República e Vice, Governadores e Vices, Senadores, Deputados Federais e Estaduais (outubro de 2022). E isso tem um nome bonito e muito desejado, chamado: DEMOCRACIA.

Isto posto, entramos num ano de grande importância no Calendário Político nacional e que se configura na maior expressão do processo democrático vigente, pelo significativo poder livre do voto popular de aprovar os que querem renovar o seu tempo de exercício do poder outorgado na última eleição, ou se submeterem à derrota pelo julgamento da reprovação nas urnas. É uma decisão de grande responsabilidade e aqueles que se omitem em cumprir o dever cívico de votar, perdem o direito da explícita contestação pelos eventuais acertos ou desacertos daqueles que praticaram a sua obrigação constitucional de votar.

Na minha crônica aqui editada em 12/01/2014, sob o título UMA INVERSÃO DE VALORES, dentre outras reflexões, essa merece ser relembrada porque atual:

“[...] a nossa geração tem sobre os ombros um pesado fardo de responsabilidade quanto ao que passará às gerações futuras. Enquanto há tempo, é preciso que haja a intervenção eficaz das autoridades sérias deste nosso país para conter nos seus limites esses desvios ou ainda que nós eleitores nos conscientizemos de que urge exercer o direito do voto de forma independente e responsável nas próximas eleições, dando um basta ao voto corrompido e mercantilista”...

Artigo - Política: Os opostos se atraem

A expressão pode se configurar como uma afirmativa de natureza física ou psicológica, mas, no mundo político, a todo instante ela se ajusta de maneira bastante singular e é identificada com absurda regularidade nos comportamentos e nas atitudes dos políticos.

Certamente porque os oponentes “não tanto se atraem, mas as suas diferenças os completam”! É sobre exatamente isso que vamos discorrer ao longo desse texto, dando nomes e sobrenomes aos senhores atores...

Artigo - Fundos: Partidário e Eleitoral, uma vergonha!

Por mais que o espírito natalino nos recomende um sentimento natural de paz, tolerância e harmonia, sugerindo um temporário esquecimento de temas mais críticos ligados aos fatos do cenário político, o silêncio se torna impossível diante das provocantes e conflitantes atitudes dos principais atores dessa realidade brasileira.

O Sistema Democrático não pode prescindir da existência dos políticos e os seus respectivos Partidos, mas cabe ao cidadão e eleitor a responsabilidade em fiscalizar o desempenho dos agentes que fazem parte dessa estrutura e que deveriam honrar a sua importante missão institucional. Mas, o que acontece é exatamente o contrário. Chegam lá para desfrutarem das benesses do Poder, e o quanto podem sugam até o último centavo. Essa é a plena verdade!..

Artigo – A caminho do “Novo Normal”?

Até a Monalisa, de Leonardo da Vinci, se protegeu

O mês de dezembro bem que se ajustaria no calendário com a adoção de um outro nome, que poderia ser extraído de algumas variáveis de ricas etimologias, embora bastante divergentes da grafia inerente aos três últimos parceiros de final de ano.....

Artigo – Um vírus com a cara de praga!

Ao imaginar que estamos diante de um Vírus que se multiplica em variantes as mais diversas e desconhecidas, logo a memória nos conduz à recordação do episódio dos tempos bíblicos, ocorrido durante o Império do Faraó Ramsés II, entre 1279 e 1213 a.C., e conhecido como as “Dez Pragas do Egito”.

O fato é que o Faraó resistia aos pedidos de Moisés e Arão em libertar o povo hebreu, que ali estava escravizado, e Deus revelou ao seu líder que iria baixar pragas sucessivas sobre o Egito até que o Faraó decidisse libertar o seu povo...

Artigo – Brasil: A força de um povo

Por mais que se identifique em um universo de 213,3 milhões de habitantes, e num país como o Brasil, alguns milhares ou até mesmo milhões de pessoas com perfis destoantes do desejado, principalmente por desvio de caráter, ainda assim, podemos afirmar que o Brasil tem um povo de fibra, resistência e força incansável na luta pela superação das dificuldades.

Não obstante o povo alimente a esperança de melhores dias, os muitos problemas sociais e a insuficiência causada por 12,6 milhões de desempregados – segundo o IBGE -, são fatores que se opõem a um estado de normalidade da vida no dia a dia...

Artigo – Festas: Será que está na hora?

Não há qualquer dúvida, que suprimir festas tradicionais do calendário é algo que mexe profundamente com as emoções das pessoas, sobretudo quando se imagina um povo de vocação alegre e “festeira” como o brasileiro e, em particular, pela característica inata na gente nordestina.

Suprimir festejos e manifestações populares e religiosas, típicos de cada região, carregados de marcantes e indefectíveis traços culturais, como o Carnaval, as Festas Juninas, Folia de Reis, Círio de Nazaré, Festa do Peão de Barretos, Lavagem do Bomfim, dentre outras, é algo que chega a ser impensável, principalmente por muito tempo, quadro com o qual já convivemos há quase dois anos...

Artigo - Racismo: Está na hora de acabar!

Embora nesse sábado, 20/11, tenha sido comemorado o “DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA”, entendo que essa consciência tem de ser consagrada como uma verdade e uma afirmação de todos os dias, assim como o Dia das Mães, Dia da Mulher, Dia dos Pais, Dia do Trabalho, e tantos outros de indescritível importância, e devem ter o seu mérito permanente e contínuo, e não a comemoração restrita a um único dia. 

Essa data, porém, tem uma particularidade por ser dedicada ao reconhecimento e consagração dos valores de um povo, cujos direitos a sociedade, no Brasil e pelo Mundo afora, teima em resistir e desconhecer ao longo da história. Diga-se, de passagem, uma data especial para a etnia no mundo todo!..

Artigo – Mundo político: Realidade e Fantasia

Primeiro-Ministro Holandês e o Primeiro-Ministro Inglês indo ao trabalho de bicicleta

Sempre que se aproxima um novo pleito eleitoral, principalmente com a relevância do que se realizará em 2022, são muitas as preocupações pontuais que passam a atormentar o nosso eleitor. Decidir pelos destinos do país e defender a integridade de suas instituições é uma missão de grande responsabilidade, e uma oportunidade ímpar de valorização do sistema democrático...

Artigo: “Fazer um novo fim”

“Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”. (Chico Xavier)

Qualquer semelhança do extraordinário pensamento de Chico Xavier com as indecisões que permeiam e dominam os atores do teatro político, seja no sertão de Uauá, nos Municípios de Juazeiro e Petrolina, nos 417 municípios da Bahia ou nos 5.565 Municípios de todo o Brasil, é mera coincidência...

Artigo: Um presidente sob censura!

Nas duas últimas semanas optei por tangenciar na direção de outros temas mais amenos, românticos, e até históricos, de modo a dar ao leitor um momentâneo descanso sobre assuntos de natureza política. Mas, o inquieto som das teclas, até no silêncio da noite, parecia um convite a fazer uma leitura dos acontecimentos e voltar a visão para o que perturbava ou incitava o cenário político nacional. E a percepção é de que “está tudo como dantes, no quartel de Abrantes”!

É que nada mudou...! O mesmo personagem central de todas as querelas dos últimos tempos continua marcando a sua evidência vazia, ou seja, ao invés de usar a liturgia representativa do cargo para o legítimo exercício do poder presidencial e a condição de líder capaz de influenciar a população brasileira com palavras de confiança e otimismo, usa das redes sociais para distribuir frases ineficazes e plantar pensamentos negativos de natureza científica que fogem à sua competência. Sinceramente falando, tem se comprometido em emaranhados do nada com nada, parecendo, até, que fica pensando durante a noite o que dirá de impactante no dia seguinte... ou não pensa!..

Artigo: Exemplos para um novo tempo

As recordações deslumbrantes dos giros por terras além-fronteiras, repercutem por longos anos em nossa memória, em razão da convivência de alguns dias com as ricas raízes culturais históricas, as quais sedimentaram as bases de civilizações milenares.

A cada passo as emoções parecem conduzir os visitantes à pretensão inglória de querer passar a história a limpo, mas, apenas retornam com sentimentos de mais respeito à criatividade, à força e à energia dos bravos construtores daquela época...

Artigo - Uma história milenar (II)

1) Cidade de Éfeso (Biblioteca de Celso, ao fundo); 2) Altar onde foi a casa da Virgem Maria, próximo a Éfeso; 3) Templo de Partenon, em Atenas-Grécia; 4) Ilha grega de Mykonos.

É uma sensação gostosa, gratificante e que causa um bem-estar extraordinário à alma, ao se pisar solos tão ricos em história e que trazem à tona a memória de tantas civilizações do passado, que construíram com suor, sangue e muitas lutas as bases das civilizações dos nossos dias. Além de ter sido o berço do cristianismo. Ou seja, um lugar tão lindo, que mais parece um quadro pintado!..

ARTIGO - Velho Chico: O grande homenageado!

O Rio, Juazeiro/Petrolina e o parreiral Salve, salve 4 de outubro de 1501! Nessa data, há 520 anos, o navegador genovês Américo Vespúcio, ao se encantar diante do esplendor da foz daquele rio belíssimo, batizou-o com o nome do Santo do Dia, ou seja: SÃO FRANCISCO. Não imaginava o navegador, contudo, que aquelas águas encerravam no Oceano Atlântico uma brilhante trajetória de 2.863 Km, iniciada após a sua nascente histórica na Serra da Canastra, no município de São Roque de Minas, centro-oeste de Minas Gerais.

A partir daí segue no seu curso garboso e altaneiro através dos Estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, e entre os Estados de Sergipe e Alagoas, onde conclui no Oceano todo o seu percurso, após passar por 521 municípios...

Artigo: “Nada não está tão ruim...”

“...que não possa piorar”. Embora seja um ditado popular, com sentido e conotação específica, a sua escolha como tema, nesta oportunidade, decorre do fato de que o Brasil passa por um momento trágico da sua história, e não poderia ser mais inadequada e infeliz a sua citação em discurso pelo Presidente da República, nesta semana. Isso porque num período de dor e sofrimento pela perda de milhares de brasileiros para o COVID-19, com uma forte carga emocional causada pela falta de emprego e alimento, e uma saúde cheia de carências, seria de se esperar do Chefe do Estado brasileiro, palavras de fé, confiança e otimismo para a superação das dificuldades, nunca afirmar, com ar de indiferença, que ainda pode piorar muito mais!

Embora, aquilo que foi dito, apenas corrobora frases já enunciadas pelo Presidente em outras ocasiões graves da Pandemia, que merecem ser relembradas: a) “Vamos encarar a realidade. Todos nós vamos morrer um dia”; b) “Estão superdimensionando o poder desse vírus”; c) “Não sou coveiro”; d) Sobre a vacina, em 17/12/20: “Se você virar um chi... virar um jacaré, é problema de você, pô. Não vou falar outro bicho, porque vão pensar que eu vou falar besteira aqui, né?”; entre outras expressões minimizadoras e divergentes diante de uma realidade atroz para o País...

Artigo: Popularidade ou Vexame?

Ainda que na produção de cada texto semanal, a tendência natural é focar no cenário político nacional vigente, pela variedade e abundância de temas, de vez em quando opto por oferecer ao leitor uma opção alternativa para a sua leitura, ou até mesmo para que não se consolide a convicção de que existe um ranço político ou ideológico contra esse ou aquele que está dentro ou fora do Poder, o que absolutamente não existe.

Assim, voltando ao mundo real, é impossível não ter uma visão crítica sobre o triste desenrolar dos acontecimentos durante a visita da comitiva presidencial a Nova York, para participar da Abertura da 76ª. Assembleia Geral da ONU, na última semana. O fato relevante é que o primeiro discurso oficial é reservado ao Presidente do Brasil. Não obstante, a sua fala antes de encher de orgulho a cada cidadão brasileiro, causou tristeza pelos fatores que repercutiram negativamente, tanto no âmbito interno do País como na avaliação dos analistas de toda a imprensa internacional...

Artigo - 11 de setembro: A triste memória das Torres Gêmeas

(As Torres Gêmeas de Nova YorK)

Essas são imagens fortes e que tristemente entraram para a história a partir do atentado terrorista de 11 de setembro de 2001, às Torres Gêmeas do World Trade Center de Nova York, derrubadas por dois aviões sequestrados, com passageiros...

Artigo – Da tempestade... À bonança!

Ainda que, felizmente, as manifestações do dia 7 de setembro transcorreram de maneira pacífica, no sentido da não intercorrência de atos de violências físicas, sejam dos participantes ou da Polícia, antes imaginados e até pregados por alguns mais exaltados - expectativa que trouxe muita preocupação em todo o País -, a apoteose, porém, foi marcada pelo tom destemperado e infeliz, exatamente por conta de quem devia pregar a paz, o respeito e a moderação. 

Não obstante o detalhe de não ter havido a prática do vandalismo, muito frequente em movimentos políticos dessa natureza, é impossível não reconhecer que existiram outras formas de agressão aos direitos individuais e às instituições, tanto por faixas e cartazes, como pelo discurso odioso do candidato que ocupou o palanque do grande comício, sempre a insuflar o estado de ânimo do povo à sua frente...