RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 24 registros para a palavra: Collor

Governador de São Paulo convida Sarney, Collor, FHC, Lula, Dilma e Temer para tomar a vacina CoronaVac

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), convidou todos os ex-presidentes desde a redemocratização, em 1988, para tomar a vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan com o laboratório chinês Sinovac. A informação é do jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com a reportagem, os petistas Lula e Dilma foram convidados por intermédio do prefeito de Araraquara, Edinho Silva (PT), a pedido de Doria. Ainda segundo o jornal, Dilma recusou a oferta...

Após 30 anos, Collor pede perdão por confisco da poupança dos brasileiros

O ex-presidente da República Fernando Collor, atualmente senador por Alagoas, utilizou o Twitter nesta segunda-feira (18) para pedir perdão. O motivo? Uma medida decretada há mais de 30 anos que confiscou parte de saldo de cadernetas de poupanças e contas-correntes. 

"Quando assumi o governo, o país enfrentava imensa desorganização econômica, por causa da hiperinflação: 80% ao mês! Os mais pobres eram os maiores prejudicados, perdiam seu poder de compra em questão de dias, pessoas estavam morrendo de fome. O Brasil estava no limite!", iniciou Collor, antes de começar a explicação. ..

Câmara discute abrandar lei de improbidade, criada no auge das denúncias do governo Collor

Considerada por alguns especialistas como imprecisa e com punições excessivas, a lei de improbidade administrativa pode ser alterada por um projeto de lei que tramita no Congresso, segundo informações da Folha.

A lei foi promulgada em 1992 em meio às denúncias de corrupção no governo de Fernando Collor (1990-1992), a fim de penalizar na área cível agentes públicos envolvidos em desvios. No entanto, atualmente, até integrantes do Ministério Público, principal autor desse tipo de ação, defendem mudanças na lei. Os críticos consideram que o principal problema é que as regras atuais deixam ampla margem de interpretação sobre o que é um ato de improbidade...

"Repulsa a uma trama sórdida", reage Collor à ofensiva da PF

Alvo de ação da Polícia Federal nesta sexta, 11, o senador e ex-presidente Fernando Collor (PROS-AL) reagiu enfaticamente à Operação Arremate, que realizou buscas em endereços ligados ao parlamentar em Maceió (AL) e em Curitiba (PR). Em nota, Collor se diz ‘indignado e perplexo’ e alega que a operação foi baseada em ‘irreal suposição’.

A investigação mira suposta lavagem de R$ 6 milhões em imóveis, que teriam como laranja um assessor do Senado. Os 16 mandados de buscas autorizados pelo ministro Luiz Edson Fachin em 26 de setembro foram requeridos no dia 9 do mesmo mês pela então procuradora-geral, Raquel Dodge...

PRTB quer Fernando Collor no comando do Senado

O PRTB, partido do vice-presidente, Hamilton Mourão, faz campanha pela candidatura de Fernando Collor (PROS-AL) à presidência do Senado. De acordo com a coluna do Estadão, ao menos cinco senadores relataram ter recebido telefonemas do brigadeiro Átila Maia, filiado à legenda, pedindo votos para o senador alagoano, em nome de Mourão. Procurado, o vice repudiou a ação e disse que Átila “não pertence à sua equipe”.

Foi essa movimentação que motivou o bilhete de Jair Bolsonaro ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, durante evento no Ministério Público Federal. Fotógrafos registraram a pergunta: “Collor é candidato?”. Mourão diz não fazer “militância”. Já o presidente do PRTB, Levy Fidelix, não retornou às ligações e Átila Maia não foi localizado...

Bolsonaro, seguido por Joaquim Barbosa, lidera pesquisa divulgada neste sábado

A pesquisa Datapoder360, divulgada neste sábado (21) aponta que o deputado Jair Bolsonaro lidera as intenções de voto para presidente da República. O candidato do PSL tem entre 20% e 22%. Em segundo lugar aparece Joaquim Barbosa (PSB) com 13% a 16% das intenções de voto. Já no terceiro aparecem praticamente empatados Ciro Gomes (PDT) com 8,4% e Marina Silva (Rede), com 8,2%.

O estudo aponta ainda Fernando Haddad (PT), com 7,4% das intenções de voto e  Álvaro Dias (Podemos), com 6,3%. Outros 17,3% responderam que votariam branco ou nulo e 8,2% não responderam. A pesquisa DataPoder360 foi realizada nos dias 16 a 19 de abril, por meio de ligações telefônicas (para aparelhos celulares e fixos), e teve 2.000 entrevistas em 278 cidades brasileiras. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. O estudo está registrado no TSE sob o número BR-06596/2018...

Collor admite vontade de concorrer ao Planalto em 2018

O senador Fernando Collor de Mello (PTC-AL) vem manifestando a pessoas próximas o interesse em se candidatar à Presidência nas eleições de 2018. As informações são da coluna Expresso, do site da revista Época, de domingo (24). Segundo a publicação, o parlamentar considera a possibilidade por seu mandato no Senado terminar apenas em 2022. No entanto, Collor responde a investigações no Supremo Tribunal Federal (STF), que o poderiam prejudicar na eventual campanha. ..

PF conclui em inquérito que Collor desviou R$ 9 mi de recursos públicos

A Polícia Federal concluiu em inquérito que há indícios de que o senador Fernando Collor (PTC-AL) cometeu peculato, desviando aproximadamente R$ 9 milhões em recursos públicos. A investigação é no âmbito da Operação Lava Jato, na qual Collor é suspeito de intervir na BR Distribuidora para concessão de empréstimos no valor de R$ 7,2 milhões para a empresa Laginha Agro Industrial S/A, sem garantia compatível com o risco da operação. De acordo com a PF, a empresa pertence ao usineiro alagoano João José Pereira de Lyra e na época enfrentava dificuldades financeiras. De acordo com o G1, caberá à Procuradoria-Geral da República (PGR) analisar o relatório da PF e decidir se apresenta denúncia contra o senador junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) ou se arquiva o caso. Caso a primeira opção seja a escolhida, Collor se tornará réu no caso - ele já é alvo de sete inquéritos no âmbito da Lava Jato. Em nota, o senador afirmou que apenas defendeu os interesses do estado de Alagoas, em cumprimento à "atribuição de parlamentar representante daquele estado". ..

Delator afirma ter dado R$ 300 mil para Fernando Collor

O doleiro Carlos Alexandre de Souza Rocha, carregador de dinheiro de Alberto Youssef, afirmou à força-tarefa da Operação Lava Jato que em 2014 levou R$ 300 mil para o ex-presidente da República e atual senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL), em pacotes de notas de R$ 100,00. Novo delator da Lava Jato, Ceará - como é conhecido - citou outras entregas de valores para Collor e para seu ex-ministro e atual dono do Grupo GPI Investimentos, Pedro Paulo Leoni, o PP. 

"No final de janeiro de 2014, Alberto Youssef solicitou que o declarante (Rocha) transportasse R$ 300 mil para Maceió", contou o delator, em depoimento à Procuradoria-Geral da República. O montante deveria ser entregue a outro carregador de dinheiro de Youssef, Rafael Ângulo Lopez - que também fez acordo de delação com a Lava Jato. "No café da manhã se encontrou com Rafael Ângulo Lopez, que estava acompanhado de outra pessoa que não conhecia e do qual não se recorda o nome."..

Fernando Collor xinga procurador-geral da República em discurso no Senado: "filho da p..."

Em discurso no Senado na noite desta quarta-feira, o atual senador e ex-presidente da República, Fernado Collor de Mello, xingou o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Ao contestar ações do procurador, Collor o chamou de "filho da p..." durante seu tempo no plenário. O vídeo foi publicado pelo jornal Folha de São Paulo. Collor é um dos políticos indicados pela Procuradoria-Geral da República para que seja aberto inquérito pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por suposto envolvimento na operação Lava-Jato.

Veja abaixo o vídeo. O xingamento ocorre aos cinco minutos e cinco segundos:

..

Polícia Federal faz buscas nas casas de Collor e na TV Gazeta

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (14) uma operação que tem como alvos políticos investigados na Operação Lava Jato. Entre os alvos de mandados de busca e apreensão estão o presidente do PP, Ciro Nogueira (PI), Fernando Collor de Mello (PTB-AL), Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) e Eduardo da Fonte (PP-PE).

A ação, batizada de Politéia, visa ao cumprimento de 53 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em seis processos que estão em curso na corte, relacionados ao esquema de corrupção na Petrobrás. A PF busca cumprir 12 mandados no DF, oito em Pernambuco, 11 na Bahia, sete em Alagoas, cinco em Santa Catarina, cinco no Rio de Janeiro e cinco em São Paulo. ..

PF encontrou depósitos em favor de Collor no escritório do doleiro

A Polícia Federal encontrou, no escritório do doleiro Alberto Youssef, comprovantes de depósitos em favor do senador Fernando Collor (PTB-AL), em busca realizada durante a Operação Lava Jato. Segundo informações da Agência Brasil, o fato foi comunicado nesta quinta-feira (22) pelo juiz Sergio Fernando Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, ao ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal. Segundo o relatório da PF encaminhado ao magistrado, foram oito depósitos em espécie, entre fevereiro e maio do ano passado, no valor de R$ 1,5 mil; R$ 9 mil; R$ 1,5 mil; R$ 9 mil; R$ 8 mil; R$ 9 mil; R$ 8 mil e R$ 4 mil. Collor, no entanto, não é investigado na operação. "Apesar disso [dos comprovantes de depósito encontrados], observo que não há qualquer indício do envolvimento do referido parlamentar nos crimes que já foram objeto das aludidas oito ações penais propostas", disse o juiz. O ofício enviado por Moro a Zavascki, é citado ainda que a PF não foi autorizada a fazer a diligência que encontrou conversas entre o doleiro e o deputado federal André Vargas (PR), referente à reunião marcada na casa do deputado Cândido Vacarezza (PT-SP). "Muito embora o relatório preparado pela Polícia Federal para a remessa do material do deputado federal André Vargas mencione o deputado federal Cândido Vaccarezza, observo que a menção diz respeito à suposta reunião dele com Alberto Youssef, sem que, em princípio, se possa inferir caráter criminoso do evento em questão. Apesar de o agente policial sugerir, no relatório, a este juízo, que obtivesse confirmação de que determinado aparelho de Blackberry pertenceria ao referido deputado, observo que este juízo não autorizou essa diligência e a recomendação consta em relatório solicitado por este Juízo com o propósito específico de remessa do material ao Supremo Tribunal Federal", disse o juiz, que acrescentou que o deputado federal baiano Luiz Argôlo (SDD), com o qual Youssef trocou mensagens, também não é investigado na Lava Jato. "Apesar da remessa, observo que não há qualquer indício do envolvimento do parlamentar nos crimes que já foram objeto das aludidas oito ações penais propostas", afirmou. ..

Biografia de Collor esquece Impeachment

Lá se foi o tempo em que os políticos exibiam a própria biografia como um símbolo de conduta reta, íntegra, ilibada. Fernando Collor, por exemplo, parece ter vergonha da própria biografia – e não é para menos. Com uma ficha que dispensa apresentações, Collor preferiu exibir na sua página pessoal na internet uma biografia abreviada na qual fica entendido que a vida política do “líder alagoano” começou em 2006, com a eleição para o Senado. Do mandato relâmpago no Planalto (só uma rápida citação “presidente da República 1990 a 1992″), passando pelo impeachment no Congresso, os rituais de magia negra na Casa da Dinda e as conversas com PC Farias, tudo foi esquecido por Collor.  ..

TV de Collor em Alagoas foi obrigada a retransmitir entrevista contra ele

 

Duro para o senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) não foi só ter assistido a entrevista de sua ex-mulher Rosane Collor contando cobras e lagartos do tempo em ele era presidente da República. Duro foi também a rede de televisão de sua propriedade, a TV Gazeta de Alagoas, que é afiliada da Globo, ter sido brigada a retransmitir a entrevista do Fantástico com a ex-primeira dama revelando rituais de magia negra nos porões da Casa da Dinda. (Poder Online/Ig) ..

Collor e PC se encontravam, diz Rosane

A ex-primeira dama Rosane Collor acusou o ex-presidente e senador Fernando Collor de Mello de ter mentido durante a investigação sobre o esquema de corrupção no governo federal que culminou com seu impeachment, em 1992. Em entrevista ao Fantástico, da TV Globo, exibida nesse domingo, 15, ele disse que o ex-marido e o tesoureiro de campanha Paulo César Farias mantinham encontros frequentes mesmo após sua posse em março de 1990.

"PC continuava tomando café da manhã uma vez por semana na Casa da Dinda e ele (Collor) dizia que não." Na época das investigações sobre a corrupção, o então presidente disse em cadeia de rádio e televisão que não encontrava com PC Farias havia mais de dois anos...

Há 20 anos, o Brasil renunciava a Collor

Passeata de estudantes pedindo a saída de Collor, na avenida Paulista

Em sua edição de 27 de maio de 1992, VEJA publicou uma reportagem de capa com as denúncias de Pedro Collor contra seu próprio irmão, o então presidente Fernando Collor de Mello. Em companhia da mulher, Maria Tereza, e de uma irmã, Ana Luiza, Pedro Collor deu uma entrevista de duas horas à revista. A mulher e a irmã de Pedro Collor foram testemunhas de suas declarações, e chegaram a colaborar em algumas respostas. “PC é o testa de ferro do Fernando”, afirmou Pedro a VEJA. ” O Paulo César é a pessoa que faz os negócios de comum acordo com o Fernando. Não sei exatamente a finalidade dos negócios, mas deve ser para sustentar campanhas ou manter o status quo“, prosseguiu. Nos quatro meses seguintes, a revista lançou mais catorze capas sobre o esquema de corrupção organizado pelo tesoureiro de campanha do presidente, Paulo César Farias, o PC. VEJA acompanha a trajetória de Collor desde 1989, quando o político apareceu pela primeira vez na capa da revista – e hoje é um dos principais alvos da artilharia do político contra a imprensa. aa..

Lula é aplaudido, e Collor recebe vaias no velório de Itamar

Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Collor de Mello tiveram recepções antagônicas, no início da tarde deste domingo, por parte da população que aguardava a abertura dos portões para o velório do ex-presidente e senador Itamar Franco (PPS-MG). Na chegada do comboio das autoridades políticas à Câmara Municipal de Juiz de Fora (MG), Lula foi aplaudido pela multidão, enquanto Collor foi recebido com vaias. Além de Lula e Collor, estão presentes ao velório de Itamar o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), o vice-presidente da República, Michel Temer, além de ministros, senadores e deputados federais.

Itamar chegou a Juiz de Fora por volta das 10h25, após ser levado de São Paulo a bordo de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). Na cidade mineira, o caixão deixou o aeroporto em carro aberto, sob escolta de batedores, e chegou às 11h15 à Câmara Municipal. Músicos do Exército executaram o toque presidencial enquanto o corpo era carregado para o interior do palácio, onde dois Dragões da Inconfidência ficam de guarda junto à porta...

Pinheiro comemora reintegração de demitidos no governo Collor

O senador Walter Pinheiro (PT-BA) comemorou no Senado, a reintegração de mais 432 servidores públicos, demitidos no governo do presidente Fernando Collor (1990-1992) e anistiados pela Comissão Especial Interministerial (CEI), coordenada pelo Ministério do Planejamento. Agora eles poderão retornar aos cargos de origem, caso desejem, de acordo com 19 portarias publicadas no Diário Oficial da União da última quarta-feira (18).

Pinheiro lembrou que desde quando era deputado federal atuava para que os funcionários fossem reintegrados. “Foi uma luta que nós empreendemos desde aquele período, na Câmara dos Deputados. Com certeza ainda continuaremos lutando para que outros servidores daquela época possam voltar às estruturas das estatais, dos Correios, do setor elétrico, do setor telefonia, do setor aeroportuário brasileiro”, destacou...

MP PEDE CONDENAÇÃO DE COLLOR PELA FICHA LIMPA

O Ministério Público Eleitoral pediu ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) a condenação do senador Fernando Collor (PTB-AL) com base na Lei da Ficha Limpa. De acordo com o MP, Collor teria manipulado o resultado de pesquisa eleitoral divulgada no pleito de 2010, quando ele concorreu ao governo de Alagoas. O recurso contesta decisão do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Alagoas, que, apesar de reconhecer fraude na pesquisa eleitoral, entendeu que não configurou abuso de poder e uso indevido dos meios de comunicação a ponto de gerar a inelegibilidade de oito anos. A pesquisa antes das urnas foi realizada pelo instituto Gape, que pertence ao grupo de comunicação da família do petebista, e teve os dados deturpados com o intuito de beneficiar a candidatura de Collor e seu vice, Galba Júnior. Os dados foram veiculados no jornal Gazeta de Alagoas, que, em punição, chegou a ser multado. "Impossível reconhecer que a fraude não importa em abuso, atentando-se para o fato de que este é sócio-proprietário da pessoa jurídica responsável pela manipulação e divulgação dos dados", afirma no recurso. Informações da Folha. ..

Ministério Público pede impugnação de Collor por suposta fraude em pesquisa

O MPE (Ministério Público Eleitoral) pediu nesta terça-feira (28) a cassação do registro da candidatura de Fernando Collor de Mello (PTB) ao governo do Estado de Alagoas, sob alegação da prática de “abuso de poder econômico” e “utilização indevida de meios de comunicação social consistente na realização de pesquisa eleitoral fraudulenta”. A ação pede ainda a inelegibilidade do senador pelo prazo de oito anos.

A pesquisa foi feita pelo Gape (Gazeta Pesquisa) e divulgada pelo jornal "Gazeta de Alagoas", ambos da OAM (Organização Arnon de Mello), de propriedade da família Collor. Para o MPE, houve fraude na escolha da representação dos eleitores entrevistados, a fim de beneficiar o ex-presidente da República. A ação é resultado das investigações de um inquérito civil público, instaurado para analisar a disparidade entre os resultados das pesquisas do Gape e do Ibope, divulgadas no dia 24 de agosto...