RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 13 registros para a palavra: Brancos

Projeto cultural de João Victtor Gomes Varjão: Dentes brancos, mandíbula presa - Poetizando Juazeiro

O escritor, poeta e antropólogo juazeirense, João Victtor Gomes Varjão anuncia seu projeto cultural "Dentes Brancos: Poetizando Juazeiro" que vem com força para consolidar o lançamento do seu livro "dentes brancos, mandíbula presa"!

"Poetizando Juazeiro" foi aprovado no edital Usinas Culturais 2020, através da Lei Aldir Blanc, pela Prefeitura Municipal de Juazeiro da Bahia. O projeto objetiva a difusão e a discussão acerca da produção literária em Juazeiro da Bahia, a partir do meu livro de poesias...

Ensino brasileiro e os reflexos da desigualdade durante a pandemia

A educação é um dos principais pontos de atenção na elaboração de estratégias para redução de desigualdades. Mas, e quando o sistema educacional do país incentiva disparidades raciais, sociais e locais?

O Brasil sofre com esse paradigma e, por mais que os dados revelem um aumento no acesso às escolas, na análise dos últimos anos, as oportunidades e desempenhos entre um extremo e outro se tornam um abismo ainda maior...

Saiba a diferença e os efeitos de votos brancos e nulos nas eleições

No Brasil, apesar do comparecimento ao local de votação nas eleições ser obrigatório, a menos que seja justificado, o eleitor é livre para escolher ou não um candidato, já que pode votar nulo ou branco. Mas qual é a diferença entre essas opções?

De acordo com o Glossário Eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o voto em branco é aquele em que o eleitor não manifesta preferência por nenhum dos candidatos. Para votar em branco é necessário que o eleitor pressione a tecla “branco” na urna e, em seguida, a tecla “confirma”. Já o nulo é aquele em que o eleitor manifesta sua vontade de anular o voto. Para isso, precisa digitar um número de candidato inexistente, como por exemplo, “00”, e depois a tecla “confirma”...

Divisão de recursos entre brancos e negros vale para eleições de 2020

Partidos políticos terão que dividir recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) e o tempo de rádio e televisão entre candidatos brancos e negros nas eleições municipais deste ano.

A decisão é do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski que atendeu a pedido de liminar feito pelo Psol. No mês passado, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou a divisão, mas entendeu que a medida só poderia ser aplicada nas eleições de 2022. ..

Brancos ainda são 78% dos representados em anúncios

Uma mulher negra busca trocar de operadora de internet e decide folhear uma revista para ver as marcas anunciadas. A chance de essa consumidora encontrar alguém parecido com ela é exígua: apenas 4% das pessoas retratadas em propagandas desses serviços têm seu perfil.

O mesmo ocorreria com um homem negro buscando um novo modelo de telefone celular, já que nessa publicidade são só 6% dos representados...

Mais de 300 candidatos a federal foram votados em Juazeiro e nulos e brancos chegaram aos 46,65% 

A eleição em Juazeiro mostrou números completamente diferentes em relação a votos nulos e brancos para cada uma das cadeiras disputadas, impactando fortemente na votação dos candidatos.

Em relação à votação para deputado federal o número de votos nulos e brancos chegou a 46,65%, com mais de 56 mil eleitores, segundo os dados oficiais do TSE, optando por anular ou não votar para deputado federal. Em relação aos votos consagrados a candidatos o total de votantes foi de apenas 65.019, num colégio eleitoral de mais de 140 mil eleitores. Uma possível justificativa para esse número, 50.615 votos nulos, deve-se provavelmente a não contabilização dos Votos de Isaac Carvalho (PCdoB) nas totalizações do TSE, considerados nulos até a publicação dos dados...

Votos brancos e nulos na eleição para governo da Bahia superam votação de cinco candidatos

Como já evidenciado nas pesquisas de intenções de voto, Rui Costa (PT) foi reeleito para o governo da Bahia com 75,50% dos votos, mais que o dobro de votos adquiridos por Zé Ronaldo (DEM), 22,26%, que ficou em segundo lugar. A novidade com o resultado da eleição desse domingo (7) é que os demais candidatos não chegaram nem a 1% dos votos válidos, ficando atrás do número de votos nulos e brancos.

Após ter 100% das urnas apuradas, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) registra 1.170.405 votos nulos, o equivalente a 14,21% do total e 314.605 votos brancos, que representam 3,82% da votação para o cargo...

Saiba qual é a diferença entre votos brancos e nulos

Apesar do comparecimento a um local de votação nas eleições ou justificativa de ausência ser obrigatório no Brasil, o eleitor é livre para escolher ou não um candidato, já que tem opção de votar em branco ou nulo.

De acordo com o professor especialista em direito eleitoral Daniel Falcão, votos nulos, assim como os brancos, não são computados como válidos e não são contabilizados em um resultado eleitoral. Portanto, não causam o cancelamento de um pleito...

População brasileira é formada basicamente de pardos e brancos, mostra IBGE

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) 2016, divulgada hoje (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revela que, no critério de declaração de cor ou raça, a maior parte da população brasileira residente é parda: são 95,9 milhões de pessoas, representando 46,7% do total. Em 2012, início da Pnad Contínua, esse percentual era 45,3%. O contingente de cor branca representava 44,2% do total populacional do país em 2016, com 90,9 milhões de pessoas. Em 2012, esse índice era de 46,6%. Mais 8,2% se declararam de cor preta, um total de 16,8 milhões de pessoas, no ano passado. Em 2012, eram 7,4%. Entre as grandes regiões do país, 76,8% da população do Sul se declaravam branca, 18,7%, parda e 3,8%, preta. Na Região Norte, 72,3% da população eram parda, 19,5%, branca e 7%, preta. Na Região Sudeste, a que tem a maior proporção de população residente, 52,2% disseram ser brancos, 37,6%, pardos e 9%, pretos. No Brasil, no ano passado, a população residente foi estimada em 205,5 milhões de pessoas...

Percentual de negros em universidades dobra, mas é inferior ao de brancos

O percentual de negros no nível superior deu um salto e quase dobrou entre 2005 e 2015.  Em 2005, um ano após a implementação de ações afirmativas, como as cotas, apenas 5,5% dos jovens pretos ou pardos na classificação do IBGE e em idade universitária frequentavam uma faculdade. Em 2015, 12,8% dos negros entre 18 e 24 anos chegaram ao nível superior, segundo pesquisa divulgada hoje (2) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Comparado com os brancos, no entanto, o número equivale a menos da metade dos jovens brancos com a mesma oportunidade, que eram 26,5% em 2015 e 17,8% em 2005. Os dados foram constatados pela Síntese de Indicadores Sociais - Uma análise das condições de vida da população brasileira. A pesquisa também mostra que os anos de ensino influenciam no salário: quanto maior a escolaridade, maior o rendimento do trabalhador...

ARTIGO: Verdes e brancos                  

Dois estádios cheios e nenhum jogador em campo. Chora o futebol e quem enxuga as lágrimas nesta noite de 30 de novembro de 2016? Quem haverá de vibrar com as jogadas espetaculares, dribles e entortadas e ainda receber no peito a bola que nem saiu do pontapé inicial? O drible, a finta e o chute de efeito. A Chaleira, o Caneco, a Bicicleta, o Chapéu e a Trivela. Cadê o Gol de Letra e os craques que levam o time às alturas como se fossem Folhas Secas no ar? Agora, lá do alto ouvimos apenas a pane seca e um rastro tremendo de dor a devorar com fúria a surpresa da última temporada do futebol latino-americano. Perdemos numa única partida, jogadores, membros da delegação, jornalistas e tripulação. 

Um jogo cruel onde a bola inglesa deu lugar a caixas pretas, velas, cruzes e lágrimas. Nossa porção mais risonha e límpida agora beira a incredulidade face ao imponderável. Da Arena Condá ao Estádio Atanásio Giradot “Somos todos chape”, Chapecoenses, verdes e brancos como o Atlético Nacional, a esperança e a paz. E embora tocando a pelota de lado na política ou mesmo pisando literalmente na bola nas pelejas do Congresso Nacional, seguimos nessa paixão excepcional e obsessiva. O coro das arquibancadas e a velha história da caixinha de surpresas dão o tom transitório deste mundo contraditório caminho até Deus. Bola com Cleber Santana que passou para Josimar, que passou pra Gil, que rolou para Sérgio Manoel que rolou para Ananias, que cruzou para Kempes e é goooooool. “Estamos sonhando, torcida brasileira!”...

HUMILHANDO OS NEGROS E DISCRIMINANDO OS BRANCOS

COISAS QUE EU VI, OUVI E VIVI.

MAGOM – Contabilista, Administrador de Empresa e membro do lions.

..

Votos brancos e nulos atingem número recorde no 2º turno desde 1996

Neste domingo (28), o número de votos brancos e nulos do Brasil foi de 9,8%, o maior desde 1996, quando foram realizadas as primeiras eleições informatizadas do país. Em todo o país, 3,25% dos eleitores votaram em branco e 6,6% anularam seus votos. No primeiro turno, o índice foi de 11,1%. Já o percentual de abstenção é a segunda maior da história dos segundos turnos do Brasil. Neste domingo, 19,11% dos eleitores do país não compareceram às urnas. A cidade com maior porcentual de votos nulos foi Petrópolis (RJ), com 12,48%. Já a cidade com maior número de votos em branco foi Guarulhos, na grande São Paulo, com 6,32%. A Justiça Eleitoral desconsidera esses votos na definição dos resultados, que é feita apenas com os votos válidos. Entre os segundos turnos, o maior índice era de 1996, com 1,7% de votos em branco e 7,5% de votos nulos, num total de 9,2%. As informações são da Folha. De acordo com dados do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), o índice de abstenções no estado foi de 21,53%, ou seja, 405.013 eleitores não compareceram às suas seções. Nulos foram 98.353 (6,66%) e brancos 36.579 (2,48%).  ..