RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 1842 registros para a palavra: Bolsonaro

Datafolha: com 58% dos votos válidos, Bolsonaro venceria Haddad

Na primeira pesquisa do Datafolha sobre o segundo turno das eleições presidenciais, Jair Bolsonaro (PSL) tem ampla vantagem sobre Fernando Haddad (PT). O deputado tem 58% dos votos válidos, enquanto o ex-prefeito paulistano conta com o apoio de 42% dos ouvidos. A contagem, que exclui os brancos, nulos e indecisos como a Justiça Eleitoral faz no dia da eleição, confirma a onda conservadora que quase deu a vitória em primeiro turno ao presidenciável do PSL.

No primeiro turno, Bolsonaro teve 46% dos votos válidos e Haddad, 29%. O Datafolha ouviu 3.235 pessoas em 227 municípios nesta quarta (10). A margem de erro do levantamento, contratado pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo, é de dois pontos para mais ou para menos. Quando se leva em conta a intenção de voto total, os dois candidatos absorveram de forma uniforme o eleitorado deixado pelos outros postulantes que já decidiu quem apoiar. O deputado fluminense tem 49% dos votos totais, e havia conquistado 42% no primeiro turno. Já o petista registra 36% -no domingo passado, angariou 27%...

Pesquisa aponta Bolsonaro com 54% e Haddad com 46% dos votos válidos

O Instituo Ideia Big Data realizou a primeira pesquisa eleitoral do segundo turno. De acordo com o levantamento realizado em parceira com a revista Veja, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) lidera a corrida com 54% das intenções de votos válidos. O petista Fernando Haddad tem 46%. 
 
Ao considerar o universo de todos os entrevistados, Bolsonaro tem 48% das intenções dos eleitores, enquanto Haddad, 41%. A Veja destaca que a pesquisa ouviu 2.036 eleitores das cinco regiões do país entre a última segunda (8) e esta quarta-feira (10).

A margem de erro é de 2,67% pontos percentuais para mais ou para menos. O número de registro no TSE é BR-09687/2018. Bolsonaro chegou ao segundo turno com 46,03% de votos. Haddad teve 29,28% dos votos válidos...

Após anunciar DEM neutro no 2º turno, ACM Neto declara apoio individual a Bolsonaro

O prefeito de Salvador e presidente nacional do Democratas, ACM Neto, disse que vai apoiar e votar em Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno das eleições presidenciais. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa realizada na tarde desta quarta-feira (10), em um hotel no bairro do Rio Vermelho, na capital baiana.

Mais cedo, Neto divulgou nota nacional em que afirma que o partido não vai apoiar nem Haddad e nem Bolsonaro, mas que os líderes da sigla, individualmente, estavam "liberados para, seguindo as suas convicções, apresentarem a sua manifestação de voto neste segundo turno". Ele deixou claro que a posição de apoiar Bolsonaro é dele...

APOIADORES DE BOLSONARO SE REÚNEM EM JUAZEIRO VISANDO O SEGUNDO TURNO

Cerca de 120 pessoas apoiadores da campanha do Deputado Jair Bolsonaro (PSL) estiveram presentes na noite desta terça-feira, dia 09, no salão do Clube XV de Novembro, antigo Clube dos Caçadores, em Juazeiro para dar o “start” na campanha visando o segundo turno da campanha para presidência da República na cidade.

Participaram do encontro lideranças evangélicas, presidentes de partidos, o presidente nacional da ACONS - Associação Nacional dos Conservadores Fred Pontes, artistas, “homens e mulheres que querem a transformação de uma nação” explicou Junior Mota em mensagem ao Blog. ..

Bolsonaro diz que pretende acabar com 'ativismo ambiental xiita' e vai fundir Meio Ambiente e Agricultura

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) disse ontem terça-feira (9) que pretende acabar com o que chamou de "ativismo ambiental xiita" e acabar com a "indústria de demarcação de terras indígenas". Em entrevista à TV Bandeirantes, o candidato também falou em dar "retaguarda jurídica" para que os proprietários de terras em zonas interioranas se defendam de invasões de terras.

"Quero fundir os ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente. Não pode ter ambientalismo xiita no Brasil. Vamos acabar com a indústria de demarcação de terras indígenas. Índio não quer ser latifundiário. Índio quer poder arrendar a terra, quer poder fazer negócio, quer energia elétrica, quer dentista para arrancar toco da boca. O índio é ser humano como a gente. Não quer ser usado para políticas", disse Bolsonaro...

Bolsonaro contrata nova equipe de marketing para propaganda do segundo turno

Apesar de normalmente se posicionar contrário e criticar o uso de marqueteiros, a chapa do candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL) contratou uma empresa de marketing para produzir conteúdo televisivo para a campanha em um possível segundo turno. A afirmação foi feita pelo candidato a vice na chapa de Bolsonaro, general Hamilton Mourão (PRTB).

"O segundo turno tem televisão, temos que pensar uma estratégia com isso. Já está contratada uma agência de marketing. É um contra o outro. Vamos mostrar o que foi feito pelos que estão tentando voltar ao governo e vamos tentar mostrar à população que temos mais capacidade", disse Mourão...

Bolsonaro já busca executivos do setor privado para governo e estatais

A equipe de Jair Bolsonaro (PSL) está reunindo apoio do setor privado para levar executivos ao governo, caso o capitão reformado vença o segundo turno da eleição presidencial no dia 28 de outubro. São pessoas que aconselharam o economista do candidato, Paulo Guedes, e as equipes do presidenciável nos últimos meses, e por isso sua participação no governo passou a ser discutida.

Fazem parte da lista Alexandre Bettamio, CEO para a América Latina do Bank of America, João Cox, presidente do conselho de administração da TIM, e Sergio Eraldo de Salles Pinto, da Bozano Investimentos (gestora de investimentos presidida por Guedes).

Para integrantes da campanha de Bolsonaro, Bettamio poderia assumir a presidência do Banco do Brasil, dada sua experiência no setor bancário. O executivo mora atualmente em Nova York. Os demais poderiam ocupar postos-chave, mas isso ainda não está definido. Convites formais só devem ocorrer após a eleição.

Do setor financeiro, há outros "paraquedistas" --como estão sendo chamados esses executivos nos bastidores-- sendo aguardados: Maria Silvia Bastos Marques, CEO da Goldman Sachs no Brasil e ex-presidente do BNDES, e Roberto Campos Neto, diretor do Santander e neto do renomado economista liberal.

A entrada dele no time é tratada como o símbolo da chegada dos chamados liberais autênticos ao poder e por isso passou a ser considerada como bastante provável entre apoiadores paulistas de Bolsonaro.

Por sua experiência, Roberto Campos Neto poderia eventualmente assumir o Banco Central, caso a primeira opção, Ilan Goldfajn, não queira permanecer no cargo.

Conforme mostrou a Folha de S.Paulo, o atual presidente do BC é cotado para ficar e, em conversas reservas, Guedes já teria demonstrado o interesse em mantê-lo no cargo.

Mas Goldfajn é ligado ao PSDB, colaborou com Arminio Fraga na campanha de Aécio Neves em 2014, e pode optar por deixar o BC.

Os executivos "paraquedistas" teriam como missão desembarcar no governo trazendo a experiência que adquiriram no setor privado, uma vez que o partido de Bolsonaro, o PSL, não tem quadros técnicos para ocupar as vagas que serão abertas na Esplanada dos Ministérios, estatais federais e autarquias.

Embora ganhem muito mais na iniciativa privada, os executivos estariam dispostos a ir para o governo como forma de colaborar com a agenda liberal comandada por Guedes, segundo colaboradores de Bolsonaro. Um dos argumentos usados para atrai-los é a garantia de que poderão trabalhar sem interferência política.

O time do setor privado é composto ainda por Fábio Abraão, da gestora de investimentos carioca Infra Partners, especialista em logística e infraestrutura, e por Roberto Castello Branco, ex-executivo da Vale e hoje na FGV, que traria a sua experiência no setor de mineração e de óleo e gás.

Outros nomes desembarcam de candidaturas rivais no primeiro turno, como Salim Matar, dono da Localiza e amigo de Guedes há mais de 20 anos.

Matar apoiava o Partido Novo no primeiro turno e poderia assumir a gestão de uma estatal caso Bolsonaro seja eleito e Guedes ascenda a ministro da Economia, como planejado.

Outro do Novo que pode ser convidado a embarcar em um governo Bolsonaro é Eduardo Mufarej, ex-sócio da gestora de investimentos Tarpon e hoje integrante do RenovaBR, de formação de novos quadros na política. Nesta eleição, o Renova elegeu 120 deputados.

Os aliados de Bolsonaro evitam falar quais cargos esses executivos poderiam ocupar, usando uma metáfora esportiva. Eles dizem que estão formando um time de basquete, em que todos atacam e defendem, e não de futebol, no qual cada um tem uma posição predefinida em campo.

Matar disse à reportagem que Guedes é bem relacionado na comunidade econômica e empresarial, dada sua atuação no mercado financeiro como investidor de empresas em fase de crescimento.

Os principais fundos de investimento da Bozano são de private equity e venture capital (que aplicam em empresas que captam recursos para expandir e eventualmente chegar à Bolsa). A gestora administra um patrimônio de quase R$ 3 bilhões.

"Paulo é uma pessoa que trabalha em equipe, é cobrador de resultados e está procurando gente que teve sucesso da iniciativa privada para compor o governo", afirmou.

Mattar disse que os colaboradores são atraídos principalmente pela "agenda disruptiva" oferecida por Bolsonaro e Guedes, que prometem aos interlocutores fazer uma gestão técnica e apartada dos políticos, diferente do empregado pelos partidos que ocuparam a Presidência.

"Nem sei se vou para o governo, não recebi o convite e não parei para pensar nisso, mas estou colaborando", disse Matar.

O empresário afirmou que pretende ainda entregar a Guedes uma lista com dezenas de nomes que poderiam ocupar vagas no segundo e terceiro escalão do governo, caso seja necessário.

"Há muitas pessoas que têm capacidade de trabalhar no governo e e gostariam de contribuir."

Segundo aliados de Bolsonaro, Guedes também poderá aproveitar integrantes da atual equipe econômica, caso eles queiram permanecer nos cargos.

O economista participou de algumas reuniões em Brasília nos últimos meses para tomar pé da situação econômica e se preparar para uma eventual transição.

Nesses encontros, ele ficou próximo de Marcos Mendes e de Mansueto Almeida, do Ministério da Fazenda. Mendes é o chefe da assessoria especial da pasta. Almeida é o atual secretário do Tesouro.

No primeiro turno, Bolsonaro obteve 46,03% dos votos válidos e Fernando Haddad (PT), 29,28%...

Em rádios, Bolsonaro fala de participação nos debates para o 2º turno

Em entrevista às rádios Bandeirantes e Jovem Pan na manhã desta segunda-feira (8), o candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) comentou sobre a possibilidade de participar dos debates para o segundo turno. "Acho que debater com o PT não tem dificuldade", afirmou, após relatar se sentir bem e ter desejo de fazer campanha pelo país. 

Uma junta do hospital Albert Einstein deve definir a liberação de Bolsonaro para tais compromissos na quarta (10), mas não deve ser autorizado a fazer corpo a corpo. O candidato do PSL chamou seu adversário, Fernando Haddad (PT), de "pau mandado do PT". "É pior do que a Dilma, que era um poste. Ele é subserviente ao senhor Lula, que está preso em Curitiba." Bolsonaro também falou sobre a campanha ao governo de São Paulo -ele "liberou" seus correligionários para escolher entre João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB), indicando que não vai apoiar um ou outro...

Nordeste é alvo de xenofobia por levar Haddad ao segundo turno da eleição

Com o PT garantido no segundo turno das eleições graças ao resultado da votação no Nordeste, a região foi, mais uma vez, alvo de xenofobia nas redes sociais. Eleitores do candidato Jair Bolsonaro (PSL), que por pouco não foi eleito nesse domingo (7), fizeram agressões verbais que sugerem a separação ou até o extermínio do povo da região.

"Esses nordestinos têm que se fuder mesmo. Esses cabeçudos. Depois reclama da miséria e pobreza e não sabe o motivo", disse um perfil. "Campos de concentração para baianos já", escreveu um outro perfil. "Baiano é tudo fudido", postou mais um...

Não posso virar “Jairzinho paz e amor” no 2º turno, diz Bolsonaro

 

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, afirmou nesta segunda-feira que não pode se transformar em “Jairzinho paz e amor” para tentar angariar mais votos no segundo turno da disputa pelo Palácio do Planalto, dizendo que vai se manter fiel a seus posicionamentos conservadores...

Pós-votação, Bolsonaro volta a pôr em xeque urnas eletrônicas

O deputado fluminense Jair Bolsonaro (PSL) e o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad (PT) se enfrentarão no segundo turno da eleição para presidente, no próximo dia 28. Após a apuração dos votos, o candidato do PSL falou por meio do seu perfil no Facebook. Ele criticou os problemas enfrentados em votações por todo o país, neste domingo (7), e pôs em xeque a lisura das urnas.

“Vamos exigir do TSE [Tribunal Superior Eleitoral] uma solução para tudo que aconteceu, porque aconteceu muita coisa. Se nós tivéssemos segurança, já teríamos o nome do presidente da República decidido no dia de hoje”, apontou...

Eleitores de Bolsonaro festejam votação na Avenida São Francisco em Petrolina

Os eleitores de Jair Bolsonaro começam a ocupar a Avenida São Francisco, Bairro Areia Branca em Petrolina. Eles festejam a votação obtida pelo candidato neste primeiro turno.

Desde o período pré-eleitoral, sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa, o mestre em saltos da brigada paraquedista do Exército, Jair Messias Bolsonaro, candidato da coligação PSL-PRTB, liderou todas as pesquisas de intenções de voto para a Presidência da República...

Bolsonaro e Haddad se enfrentarão no segundo turno

O deputado fluminense Jair Bolsonaro (PSL) e o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad (PT) se enfrentarão no segundo turno da eleição para presidente, no próximo dia 28, projeta Datafolha. 
 
A onda de apoios que impulsionou Bolsonaro, 63, na última semana antes do primeiro turno espraiou-se, mas não foi suficiente para finalizar o jogo neste domingo (7). Ele tem 47,35% dos votos válidos, com 87,91% das urnas apuradas. Uma série de candidatos associados a seu nome nos estados teve desempenho superior ao que as pesquisas indicavam.

Já Haddad, 55, amealhou até agora 27,55% dos votos válidos, conquistando endosso significativo na região Nordeste, berço do homem que o colocou na corrida, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT)...

Com mais de 95% das urnas apuradas, Bolsonaro tem 46,71% e Haddad, 28,37% Ciro Gomes aparece em terceiro, com 12,52%

Desde às 19h, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) passou a divulgar os resultados da apuração da eleição presidencial. Os primeiros eleitos a serem conhecidos foram governador, senador, deputado federal e deputado estadual ou distrital. 

Ao declarar o fim da votação, cada Tribunal Regional Eleitoral (TRE) começa em seguida a realizar a contagem dos votos de cada urna eletrônica, a partir do chamado boletim de urna. O total da soma, atualizado a cada cinco minutos, é repassado eletronicamente ao TSE, que atualiza as informações sobre o resultado das eleições e as divulga em tempo real. ..

Votação na Nova Zelândia indica segundo turno entre Bolsonaro e Ciro, diz jornal

 

Imagens que circularam nas redes sociais na madrugada deste domingo (7) indicam que o suposto resultado da eleição na Nova Zelândia seria uma disputa entre Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT) no segundo turno. Outra curiosidade é que o candidato João Amoêdo, que não chegou a 5% das intenções de votos nas pesquisas eleitorais, aparece mais votado até que Fernando Haddad, do PT...

Bolsonaro só seria batido por Ciro num cenário de segundo turno, diz Ibope

De acordo com pesquisa de intenção de voto divulgada pelo Ibope, neste sábado (06), o candidato Bolsonaro (PSL) só não venceria as eleições num cenário de cenário de segundo turno se a disputa fosse com o candidato Ciro Gomes (PDT). Neste cenário o candidato Ciro teria 45% contra 41% de Bolsonaro.

Nos demais cenários os números, segundo o Ibope, seriam: ..

Pesquisa do Datafolha aponta segundo turno entre Bolsonaro e Haddad

A última pesquisa realizada pelo Datafolha, antes das eleições de 2018, apontam para um segundo turno entre Bolsonaro (PSL) e Haddad (PT). De acordo com o instituto Bolsonaro teria 40% dos votos válidos contra 25% de Fernando Haddad (PT).

Ciro Gomes (PDT) apareceu com 15%, Geraldo Alckmin (PSDB) teve 8% dos votos, Marina Silva (Rede) e João Amoêdo (Novo) ficaram com 3%...

Em último debate, presidenciáveis pedem voto sem 'ódio ou medo' e criticam polarização de Bolsonaro e PT

O último debate entre os candidatos à presidência da República começou com apelos dos candidatos Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede) para que os eleitores não se deixem influenciar pelo "medo ou pelo ódio" na votação do primeiro turno, indicando que o voto nos líderes das pesquisas de intenção de voto – Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) – poderá manter o clima de polarização na política brasileira. 

Ciro relembrou o clima hostil entre Dilma Roussseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) na campanha de 2014 e o reflexo da disputa nos anos seguintes. "Vamos repetir essa história, e será que o eleito vai conseguir governar?", questionou Ciro. Marina Silva lamentou o clima de polarização e afirmou que o momento é propício para uma mudança no cenário político. "Vivemos uma guerra em que alguns estão votando por medo em Bolsonaro e outros por medo em Haddad", disse Marina. ..

Datafolha: Bolsonaro chega a 35%; Haddad 22% e Ciro 11%

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) ampliou sua vantagem sobre os concorrentes na disputa pelo Palácio do Planalto, aponta pesquisa do Datafolha. Nos votos totais, Jair Bolsonaro manteve o crescimento e atingiu 35%. Fernando Haddad, do PT, ficou estável.

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos...

Haddad vai ao TSE contra fake news divulgadas por apoiadores de Bolsonaro

A campanha de Fernando Haddad (PT) apresentou nesta quinta-feira (4) quatro ações no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) contra Jair Bolsonaro (PSL), por disseminar fake news sobre o petista.

O PT pede direito de resposta e que sejam retirados do ar vídeos que divulgam informações de que Haddad teria criado o chamadokit gay para que as crianças aprendam a ser homossexuais na escola e que um eventual governo petista distribuiria mamadeiras em creches com bico em formato de pênis...