RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 396 registros para a palavra: Agenor Santos

Artigo – UM PAÍS ENTRE PALAVRÕES E SUICIDAS!

O resultado verificado nas últimas eleições foi sintomático do nível de ansiedade que dominava o nosso eleitorado, pela expectativa de mudança na política nacional, visto os desmandos administrativos e financeiros em que o país se encontrava, bem como a tentativa de melhoria do perfil dos nossos legisladores. É importante comentar que no Senado Federal ocorreu uma notável renovação de 87,3% das 54 cadeiras em disputa, enquanto na Câmara dos Deputados foram eleitos 243 deputados "novos", com uma renovação de 47,37%. Bem significativo!

No plano do Executivo o desejo de mudança global se manifestava de forma mais intensa diante da incompetência da então Presidente e, também, do seu sucessor temporário, condição que favoreceria a eleição de qualquer um novo nome que se apresentasse no cenário político nacional. Entendo que é cedo para uma avaliação conclusiva dos riscos assumidos pelo povo brasileiro. Existem boas intenções de corrigir alguns rumos, mas o que falta ao Presidente é um curso intensivo para Estadista - e de boas maneiras -, mesmo à Distância (quem sabe, um bom EAD!), mas, que o ensine a agir mais e falar menos. Se não aprovamos que um “zé ninguém” use palavreado impróprio em rodas de família, não se pode admitir que o Presidente da República adentre ao lar das famílias brasileiras através da televisão, e ao discursar aos garimpeiros à porta do Palácio, use de expressão grosseira, ainda que em defesa da nossa soberania: “Interesse na Amazônia não é no índio nem na porra de árvore, e sim no minério”! No mínimo aviltante e inconsequente! E prefiro usar essas palavras, a outras que seriam do mesmo nível como as dele, visto que o respeito ao leitor é algo sagrado...

ARTIGO - AS PERNAS CURTAS DA MENTIRA

Crônica publicada em 18/01/2015 – Redimensionada

Frequentar ambientes públicos, como bares e restaurantes, às vezes surgem oportunidades muito especiais de observar atitudes e, mesmo involuntariamente, ouvir diálogos de toda natureza entre os circundantes que permitem extrair experiências do comportamento das pessoas, e até mesmo encontrar sugestão e inspiração de temas para alguma crônica, como é o caso do presente texto...

ARTIGO - O ABUSO DA LIBERDADE

É interessante observar como as modernidades contagiam a todos nos dias atuais, incorporando práticas e palavreados impensáveis em tempos passados, não somente no linguajar típico e natural aos jovens, mas hoje afetando até os idosos! Aquilo que era dito no passado, e cuja procedência tinha origem duvidosa, de pronto se insinuava que era mentira, ou logo se afirmava: NÃO É VERDADE! Hoje tudo se universalizou na expressão “Fake News” como forma de repudiar a tudo que não se deseja ouvir ou não se quer acreditar, principalmente quando influenciado pelas questões ideológicas, sem qualquer pretensão de conhecer a origem do que está sendo dito, quem o disse e as motivações que inspiraram aquela informação, que pode até ser realmente falsa ou, quem sabe, verdadeira.

Frente a essa circunstância, o mais seguro e confortável é exercitar os recursos investigativos para um posicionamento pessoal amparado num senso crítico claro e autêntico, sem exacerbar sob a pressão de fatos que nem sempre são falsos... A realidade é que os novos tempos chegaram com uma incrível velocidade, trazendo o forte impacto de uma comunicação intensa e eficaz apelidada de “redes sociais”, cujos efeitos tem uma potencialidade ainda não bem avaliada pelas pessoas, mas de intensos resultados tanto para o bem como para o mal. E quando são maléficos, saiam de baixo!..

ARTIGO  -  FILHO... CALA-TE!

Mais parece uma repentina praga a espalhar maldades pelo país, ou os nefastos efeitos de um tsunami a arrastar frases impensadas e revestidas de imprudência, as palavras jogadas ao léu mais uma vez pela loquacidade do Carlos Bolsonaro, vereador do Rio de Janeiro. É triste ter de voltar a falar dos filhos do Bolsonaro, que mais atrapalham do que ajudam o seu governo, e incomoda a qualquer cristão deste país ter de ouvir tantas baboseiras. 

Num momento em que a Nação convive com as divergências dentro do mais puro debate político, e em que as reformas desejadas tramitam no Poder Legislativo de acordo com as regras democráticas e constitucionais, é intolerável que o filho do Presidente utilize as redes sociais para pregar princípios totalitários, com frases tão insanas quanto infelizes. Disse ele: "Por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos... e se isso acontecer. Só vejo todo dia a roda girando em torno do próprio eixo e os que sempre nos dominaram continuam nos dominando de jeitos diferentes". Perguntem a ele se sabe o que disse. Com certeza vai reesponder “que não disse nada, não sei de nada”, o que lembra alguém em passado recente.....

ARTIGO - INDEPENDÊNCIA: UM GRITO QUE NÃO QUER CALAR!

Não consigo arredar o pé do convencimento pessoal do quanto é importante e imprescindível o bom funcionamento da Instituição Poder Legislativo para a existência do Sistema Democrático, em todos os níveis da República, em especial o Congresso Nacional. Obviamente que essa particularidade é comum a todos os países do mundo onde impera a Democracia, o que deve inspirar, portanto, a busca de experiências que possam influenciar no aperfeiçoamento desse tão importante regime político. Coincidentemente, de maneira oposta, onde há o socialismo impera o regime da força, cujas nações são bem conhecidas de todos!

Não obstante esse grau de magnitude como Instituição basilar, surpreende a qualquer mortal ouvir a reação das pessoas do povo ou mesmo o pensamento dos âncoras do jornalismo nacional, com expressões desairosas e contestadoras, quando se fala em “Congresso Nacional”! Isso é sintomático de que há algo errado na estrutura de funcionamento ou no perfil daqueles que o compõem – existem as boas exceções -, e que já é hora de despertarem para uma realidade que está a reclamar saneadoras mudanças...

ARTIGO 360 - UMA TRAGÉDIA E DOIS IMATUROS!

Acho que poucas vezes em nossa história se tenha testemunhado um episódio gerador de tantas controvérsias e envolvido tanta gente em duvidosas preocupações ambientais, como as queimadas que atingiram a Amazônia nos últimos dias. É óbvio que qualquer que seja a intensidade de um incêndio que envolva uma floresta da magnitude da Amazônia, de uma flora e fauna de incomensurável potencialidade, o fato irá sensibilizar e preocupar as pessoas de bom senso, não só brasileiras como de qualquer parte do mundo.

Apesar de tudo isso, o que se percebe dos dados históricos divulgados pelo INPE e objeto de amplos comentários por parte de analistas independentes e não ideológicos, as secas são um fenômeno cíclico que ocorre sempre em todas as regiões do Brasil e nos países vizinhos da América do Sul. Segundo a NASA, após análise de dados informados pelo satélite, o total de incêndios na Amazônia em 2019 “aproxima” da média registrada nos últimos 15 anos!..

ARTIGO - AMAZÔNIA: ÁRVORES OU SUBSOLO?

No convívio regular com as pessoas, é muito comum se encontrar alguém que fala de maneira desregrada ou, como se costuma dizer, usa de “descontrole verbal” ou que “tem a língua solta”. Isso porque fala o que quer e depois usa de subterfúgios para se explicar de algumas asneiras pronunciadas, nem sempre acolhidas pelos circundantes.

Essa preliminar foi inspirada na reflexão de um leitor, que ao ouvir o Presidente da República discursando ou dando entrevistas e pronunciando alguns exageros verbais, inaceitáveis e incompatíveis à relevância do cargo que exerce, torceu a cara inconformado, e me disse: “Pôôô, se ele parasse de falar e trabalhasse, apenas, até seria um presidente melhor! ”. Compreendi o desabafo e concordei com o seu sentimento de revolta, no tempo em que me questionei se não há na equipe alguém que, mesmo tendo que respeitar a hierarquia do cargo, possa orientá-lo a uma mudança de tom e atitude, no sentido de falar menos e o indispensável? É mais do que oportuno que alguém no governo faça uma releitura do provérbio português, que recomenda que “cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém”! Pelo jeito, na equipe esse alguém não existe.....

ARTIGO - PORTUGAL: TEM ATÉ PORTUGUESES!

Brasileiro em PORTUGAL E OUTDOOR NA PRAÇA MARQUES DE POMBAL-LISBOA

Quão bom e gratificante é, de vez em quando, poder buscar novas experiências culturais em outros territórios desse nosso vasto mundo, e assim poder mensurar o nosso grau de conhecimentos e como nos colocamos em um contexto universal mais amplo de desenvolvimento! Nesse agradável giro que ora repito por Lisboa, mesmo empolgado com a beleza encantadora da capital portuguesa, é preciso reconhecer o quanto Portugal tem se tornado cada vez mais identificado com a cultura e o desenvolvimento dos demais países da Europa...

ARTIGO - O PODER É SEDUTOR

(VALE A PENA LER DE NOVO - publicado em 22 de Abril / 2011 - Um tema que continua atual)

“REDAÇÃO (22/04/2011) - O Bacharel em Administração de Empresas e Chefe de Gabinete da Prefeitura de Uauá, Agenor Santos é o mais novo colaborador do Blog com artigos sobre os variados temas. O primeiro deles versa sobre o poder e sua sedução. Confira:


..

Artigo – HACKERS: QUANDO O CRIME COMPENSA

Está difícil de mensurar o grau de inquietação que permeia o cenário nacional nos últimos tempos, estimulada pelo afloramento de tantos fatos de diversos matizes, e que mexem com a sensibilidade de todas as tendências políticas. É visível, e até compreensível, que as partes que ora se digladiam estão a extrapolar paixões em defesa de suas posições assumidas a partir da última eleição para Presidente. É óbvio que essa é uma característica típica do sistema democrático, que tem o condão de reafirmar o preceito de que toda unanimidade é burra e que a convivência entre as pessoas deveria ter a marca indelével do respeito aos contrários.

Assim, não é nada tolerável quando se percebe a intransigência ideológica como norma de conduta, sem admitir contemporizar diante da realidade e buscar conjuntamente as soluções alternativas para um mundo de problemas que envolvem a vida brasileira. Naturalmente que essa convivência não pactua com práticas configuradas como criminosas e que não respeitam os valores básicos de integridade e ética com a coisa pública. Nesse particular, é exatamente isso que eles fazem, ao se juntarem num mesmo cocho a comerem lavagens de dinheiro e outros restos fétidos vindos da corrupção...

Artigo – ENTRE “PARAÍBAS” E “BAIANADAS”

Até onde chegaremos com tamanha imaturidade dos protagonistas do cenário político nacional, que não conseguem separar os interesses político-ideológico-partidários dos reais interesses da nação? A todo momento o nosso Presidente oferece farto material para o consumo diário dos críticos, quando não se contém em falar coisas sem nexos que mereciam uma prévia reflexão em respeito à liturgia do cargo, bem como ser apressado em antecipar coisas que gostaria de realizar, até com boas intenções, às vezes, mas esquecendo que está cercado por uma máquina administrativa integrada por Ministros, Assessores e Técnicos de todos os matizes, e que deveriam ser previamente consultados.

Não é mais cabível a justificativa de que esse perfil é uma herança da formação militar, porque, como diz um oportuno provérbio português: “UMA COISA É UMA COISA; OUTRA COISA É OUTRA COISA”! É hora de incorporar uma nova postura ética mais adequada e pensar antes de agredir toda uma região de bravos nordestinos com expressões do anedotário sulista, tipo “paraíbas”, que, como a tradicional “baianada”, tem o objetivo de anarquizar e humilhar. Se queria atacar a dois governadores - Paraíba e Maranhão -, como disse, que o fizesse de maneira objetiva e direta. “Amo o Nordeste e os Nordestinos”, dito agora, não ilude a ninguém. Disparate semelhante cometeu no episódio de pretender ver o filho como Embaixador dos EUA, quando disse: “Pretendo beneficiar um filho meu, sim. [,,,] Se eu puder dar um filé mignon para o meu filho, eu dou, sim”! Inaceitável!..

Artigo – DA LAVA-JATO AO HAMBÚRGUER

Nada mais claro e evidente de que a estratégia engendrada e bem articulada pelos envolvidos nas investigações dos crimes de corrupção, ou mesmo pelos já condenados, conseguiu o sucesso desejado que era a interrupção e amordaçamento da Operação Lava-Jato. É perceptível de que o cenário mudou abruptamente, invertendo-se os papéis dos agentes nos processos em andamento ou já julgados. Os Procuradores e Juízes de ontem transformaram-se hoje em quase réus e alvos de todo tipo de condenação, enquanto os bandidos que afundaram esse país na lama da irresponsabilidade e da indecência agora surgem como vítimas injustiçadas, para as quais todos os direitos de reparação estão sendo reivindicados. Diga-se de passagem, que essa Operação devolveu alta soma de recursos roubados dos nossos bolsos, mas, uma soma ainda maior deve existir e está pelos quintais e porões dos Ali Babás e seus comparsas. Ninguém tem dúvidas!

A Nação passou a acreditar que no final do túnel tinha uma luz acesa, a sinalizar que, finalmente, os criminosos do colarinho branco seriam extirpados do mundo político, e que a gestão pública estaria ressurgindo como exemplo de decência e integridade. Ledo engano. A Lava-Jato está agora de mãos atadas e com as suas ações paralisadas já há alguns meses, e os seus principais agentes sendo convidados por Deputados e Senadores a se explicarem (e o pior é que estão indo mesmo), porque as suas ações eram conversadas entre si, seja pessoalmente ou por telefone. Ora, é inquestionável de que o sucesso dessa operação resultou de um trabalho coordenado de equipe, da qual participavam Policiais Federais, Procuradores e Juízes. Como entender que não haja comunicação num trabalho de equipe, principalmente quando entre os investigados estão nomes de relevo da República?..

Artigo – DÁ CÁ e... TOMA LÁ!

Naturalmente que o leitor atento estará corrigindo o autor que, talvez, tenha cometido um grande equívoco ao inverter a ordem dos fatores no título acima, uma vez que a expressão é conhecida popularmente como “Toma lá, dá cá”, e é traduzida como: “a troca de favores, na qual quem favorece alguém é por este favorecido”. Seria essa a definição adequada para as relações pessoais, quando representa o gratificante sentido de retribuir um belo gesto de humanidade, cortesia e educação, o que engrandece e dignifica o convívio social entre os humanos, ao oferecer algo similar em retribuição. De repente, nas altas esferas parlamentares e governamentais a coisa é diferente. O relacionamento foi corrompido e maculado pela presença da MOEDA como instrumento de compra ou troca, a intermediar votos e decisões, cuja regra se institucionalizou como PRÁTICA CRIMINOSA E INDIGNA! Procura-se o inventor de tão sórdida maneira de legislar em favor do próprio bolso, sem olhar para trás e lembrar as pessoas das quais receberam o voto de confiança! Isso tem nome? Tem sim: traição, safadeza e enganação.

Mas, a preliminar acima ainda não definiu o motivo da inversão da frase, o que, progressivamente, se entenderá. Em algumas oportunidades aqui foi recordado, exaustivamente, de que a corrupção é uma herança com raízes históricas. Antes dessa convicção significar um consolo ou uma maneira do brasileiro se conformar, essa saga nos envergonha...

Artigo – UMA VACA VINGATIVA?

Ainda que certos fatos da vida possam parecer surreais e tenham características bastante pitorescas, eles jamais deixam de acontecer, e assim nos passam o convencimento de que é preciso acreditar em todas as possibilidades. O tempo passa com uma celeridade tão intensa, que muitos registros acumulados tendem a ocupar o espaço do esquecimento da memória de cada um e adormecidos por um longo tempo aguardam o despertar que, subitamente, um dia poderá acontecer.

Assim é que o acontecimento incomum que inspira essa crônica, faz parte da história da agência do BB-Mutuípe-BA, no Vale do Jiquiriçá, onde tive a honra de ser o seu Gerente-Adjunto Instalador, em 1979. Os personagens que fizeram parte dessa história de 40 anos se reuniram na última semana na AABB da cidade para festivamente comemorar, com grande entusiasmo e empolgação, a bela trajetória da agência. Foi uma fantástica festa de confraternização. Entre abraços eufóricos e a emoção do reencontro, os participantes tiveram uma rara oportunidade de recordar, entre brincadeiras e sorrisos, muitos casos e causos ricos de humor e cumplicidade...

Artigo – POR QUÊ NÃO “INTERCEPTAR” OS CRIMINOSOS?

Ao que parece, a Providência se preocupou tanto com o Brasil e os brasileiros, que estabeleceu um calendário adequado para que as crises sejam intercaladas por períodos de festas típicas comemorativas, regionalizadas ou nacionais – Natal, Ano-Novo, Carnaval, Semana Santa, São João, etc. -, além dos tradicionais “feriadões”, permitindo, assim, que as turbulências políticas e econômicas sejam esquecidas, temporariamente, ou se acomodem e sejam substituídas por novos fatos. O noticiário dos jornais diários, que sobrevive em função das notícias novas e bombásticas, é um dos principais responsáveis pelo nível emocional das pessoas. Certamente, algum leitor já utilizou ou testemunhou esse tipo de comentário, em algum momento: “...Já caiu no esquecimento”!

Em meio a esse universo de variáveis que mexem com o lado emotivo da sociedade, o cidadão fica meio à mercê da intensidade da manipulação da notícia e, quase sempre, sob a influência do grau dos interesses político-financeiros envolvidos...

Artigo – UMA NAÇÃO DIVIDIDA

O noticiário diário está sempre repleto de relatos da ocorrência de vulcões em atividade, incêndios, terremotos, tornados, tsunamis e furacões, entre outras tragédias, espalhados pelo resto do mundo. Durante esses desastres cíclicos, o brasileiro lamenta a dor e as perdas de tantas vidas, mas, logo se acomoda confortavelmente em sua poltrona e comenta feliz com aqueles que estão ao seu lado: “O Brasil é um país privilegiado; aqui nada disso acontece”! 

A empolgação momentânea o faz esquecer das nossas enchentes urbanas, desabamentos de prédios e quedas de barragens, que igualmente ceifam muitas vidas. Ocorre que aqui a avaliação é minimizada por um detalhe que é verdadeiro e inquestionável: as nossas tragédias têm a participação direta do HOMEM! Seja pelo lixo jogado nas ruas e que impede o normal escoamento das águas; seja por algumas eventuais falhas técnicas na construção de alguns edifícios; ou seja pela queda das barragens de resíduos minerais que se beneficiam ao longo dos anos de vistorias viciadas que ocultam os riscos reais de possíveis rompimentos, causando destruição ambiental e mortes de centenas ou milhares de pessoas, e contribuintes, que pagam para morrer tragicamente! Pior de tudo isso, é saber que não dá em NADA! Como até hoje NUNCA deu...

Artigo – “FAÇA O QUE EU DIGO, MAS...”

A vida reserva as mais diferentes e, às vezes, inimagináveis surpresas para as pessoas. Diante dessas possibilidades, muitas coisas seriam evitadas e palavras não seriam ditas, uma vez que poderiam negar a legitimidade de certas convicções, e exibir a fragilidade de certos conceitos ideológicos. Notadamente no campo político, via de regra, essas alternâncias são frequentes e obedecem ao ciclo da maré das conveniências e interesses. Por exemplo, esse enfoque nos remete à reflexão de que existe algo contraditório no discurso atual do PT, se comparado ao discurso original do seu inspirador e fundador. Hoje insistem com grande ênfase de que o atual governo, pela origem militar do Presidente e a participação na equipe de inúmeros militares, põe o país em risco de volta à ditadura. E a todo momento se reportam ao período militar.

Ocorre que, já faz algum tempo, tem circulado um vídeo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nunca contestado, no qual existem diversas entrevistas a televisões, onde rasga declarações elogiosas ao desenvolvimento econômico durante os governos militares, dando realce ao General Médici que na visão do líder petista seria eleito pelo povo se se submetesse a uma eleição, tal a aprovação que desfrutava! Vejamos algumas frases ditas pelo líder, fundador do PT:..

Artigo – BRASIL: UMA BALEIA FERIDA!

Na metáfora proferida pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes, durante a Audiência sobre a Reforma da Previdência, na Comissão de Finanças e Tributação-CFT, da Câmara dos Deputados, mais precisamente ele disse que: “com crescimento de apenas 0,6% ao ano nos últimos oito anos, o Brasil é uma baleia ferida arpoada várias vezes, que foi sangrando e parou de se mover. Precisamos retirar os arpões, consertar o que está equivocado”. Até poderia parecer uma frase de efeito como tantas que são utilizadas no linguajar impactante do dia a dia, se não encerrasse uma triste verdade que afeta o nosso Brasil dos dias atuais. É impossível dissociar tantas imoralidades praticadas na vida pública deste país, das máculas provocadas à nossa economia, com consequências danosas à própria imagem do Brasil no conceito mundial, e que vieram à tona nos últimos tempos. E, sem medo de errar, podemos dizer que tinha – e ainda tem -, muita sujeira embaixo do tapete!

Quem assistiu ao debate pela TV Câmara, pôde ver que de um lado havia um técnico com Doutorado em economia público-privada em todos os sentidos, às vezes ríspido e arrogante, e que deu muito trabalho a dois Assessores que, ao seu lado, tentavam controlar os seus ímpetos de respostas mais agressivas, face a certas perguntas insidiosas. Do outro lado, alguns Deputados mais preocupados em atingir duramente o governo e exibir uma postura pessoal político-ideológica e partidária, onde um presidiário é quem domina as suas convicções, deveriam contestar com argumentos pertinentes os pontos da Reforma que consideram nocivos aos brasileiros e que tanto falam em rejeitar. ..

Artigo – DEMOCRACIA: SALVEM OS PODERES!

Tenho sempre enfatizado, através desta coluna, que a Democracia perde consistência ou não sobrevive sem o funcionamento normal das Instituições básicas e fundamentais ao Sistema, representadas pelos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Obviamente que, como são integrados por um ser humano infestado de qualidades e defeitos, os Poderes da República estão suscetíveis a uma grande diversidade de desempenhos dos mais variados níveis. Mas, é o convívio com os diferentes que a isso chamamos de Democracia.

Assim, reconhecidas as dimensões e os valores institucionais, impõe-se a crítica e o questionamento às falhas de desempenho dos agentes gestores, não sendo justos os ataques descontrolados aos Poderes, em particular. Esse enfoque tem o objetivo de divergir dos princípios que inspiraram aos organizadores da manifestação pública do último dia 26/05 em todo o país, no que concerne a fugir do foco original anunciado que era expressar apoio e solidariedade ao Governo Federal e em particular ao Presidente da República, para setorizar ataques ferozes ao Congresso Nacional e ao STF-Supremo Tribunal Federal. Ora, se o ato público representava o exercício de um direito assegurado pela Democracia, há de se respeitar e preservar as Instituições que dão legitimidade ao Sistema e não procurar anarquizá-las! A isso podemos chamar de civilidade!..

Artigo – AVANÇOS E... RECUOS!

Têm sido fartos os motivos graciosamente oferecidos pelo governo para que mesmo os que nele votaram, e continuam confiantes, expressem as suas inquietações diante da insegurança de tantas frágeis decisões, ao ponto de alguns insinuarem, o que é verdade, que vem acontecendo “o recuo do recuo”, o que significa dizer que até após recuar de uma decisão, ainda há incertezas! Isso para não falar da escassa habilidade para manter o bom relacionamento político entre eles, e assim conquistar o apoio parlamentar indispensável à aprovação das reformas desejadas. Quem estiver pensando que vai ganhar apenas no GRITO, está muitíssimo enganado, principalmente nos dias atuais, onde o diálogo tem que ser esgotado até a última gota. 

Está difícil de compreender - e parece que a culpa não é só do governo -, a quantidade de picuinhas diárias que surgem nas relações do Presidente da Câmara Rodrigo Maia e o Presidente Bolsonaro. Quase sempre após um café da manhã, almoço ou jantar de reaproximação entre eles, saem distribuindo entrevistas às televisões enaltecendo que tudo agora é “paz e amor”, mas, logo depois, tudo se desfaz. Esse clima desestabiliza e retarda o debate, prejudicando o país...